DIA DO CACAU, O FRUTO DE OURO

Por Marcelo Franco

 

Hoje, 26 de março, é o Dia do Cacau, sinônimo de chocolate e chamado fruto de ouro por conta da sua alta lucratividade e versatilidade.

O fruto proveniente da América Central é cultivado em cerca de 17 milhões de hectares em todo o mundo.

Foi ganhando importância econômica no mundo com a expansão do consumo de chocolate e com isso, várias tentativas foram feitas visando a implementação da lavoura cacaueira em outras regiões com condições de clima e solo semelhantes às de origem. Assim suas sementes foram se disseminando gradualmente pelo mundo.

NO BRASIL

O Brasil assumiu o posto do quinto maior produtor de cacau do planeta, ao lado da Costa do Marfim, Gana, Nigéria e Camarões.

O fruto adaptou-se bem ao clima e solo do Sul da Bahia, região que produzia 95% do cacau brasileiro, ficando o Espírito Santo com 3,5% e a Amazônia com 1,5%, até o ano de 2016. [Editado]

Cerca de 90% de todo o cacau brasileiro é exportado, gerando importantes divisas para o país.

Segundo informações atualizadas, o Pará consolidou sua posição de maior produtor de cacau em grão do país. Sozinho, o estado responde por quase 50% da produção nacional, à frente da Bahia, segunda colocada. Os dados são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de junho/2017, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

VERSATILIDADE

O cacaueiro sempre foi cultivado para aproveitar apenas as sementes de seus frutos, que são a matéria-prima da indústria chocolateira. Mas, do fruto do cacaueiro, é possível extrair outros subprodutos.

O suco da polpa do cacau possui sabor bem característico, considerado exótico e muito agradável ao paladar, assemelhando-se ao suco de outras frutas tropicais. É fibroso e rico em açúcares (glicose, frutose e sacarose) e também em pectina.

Com esta mesma polpa é possível produzir também geléias, destilados finos, fermentados – a exemplo do vinho e do vinagre – e xaropes para confeito, além de néctares, sorvetes, doces e uso para iogurtes.

A casca do fruto do cacaueiro, também pode ter aproveitamento econômico. Ela serve para alimentar bovino, tanto in natura como na forma de farinha de casca seca ou de silagem, como também para suínos, aves e até peixes. A casca do fruto do cacaueiro pode ainda ser utilizada na produção de biogás e biofertilizante, no processo de compostagem ou vermicompostagem, na obtenção de proteína microbiana ou unicelular, na produção de álcool e na extração de pectina. Uma tonelada de cacau seco produz oito toneladas de casca fresca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *