O que você sabe sobre a alfafa?

O que você sabe sobre a alfafa?

A alfafa, leguminosa originária da Ásia Central e considerada a “rainha das plantas forrageiras”, é rica em nutrientes. Possui grandes quantidades de vitaminas A, C, D, E, K e do complexo B.

Esses fatores são determinantes para a leguminosa ser utilizada como feno para alimentação principalmente do gado de leite e equinos, já que é uma forrageira com alto teor de proteína, minerais e vitaminas.

Neste artigo, vamos falar sobre a produção da alfafa e sua utilização na alimentação dos animais. Boa leitura!!

Produção da alfafa no mundo

A alfafa tem sido cultivada em larga escala em ambientes tropicais, apesar de ser uma das forrageiras mais difundidas em países de clima temperado.

Máquina agrícola colhendo alfafa
Colheita de alfafa em Swan Valley, Idaho. Estados Unidos é o maior produtor mundial.

Atualmente ocupa uma área de aproximadamente de 32 milhões de hectares em todo o mundo, tendo como maior produtor os Estados Unidos, com 10,5 milhões de hectares.

No hemisfério Sul, a Argentina é o maior produtor e o segundo em nível mundial de alfafa, com 7,5 milhões de hectares, seguido pela África do Sul, com 300.000 ha e Peru, com 120.000 ha. O Brasil possui uma área cultivada aproximada de apenas 40 mil hectares.

Cultivo da alfafa no Brasil

As dificuldades para expansão do cultivo da alfafa no Brasil vão desde o pouco conhecimento sobre essa cultura, passando por aspectos de fertilidade do solo, manejo, irrigação em áreas secas, produção de sementes, até a necessidade de produção de material mais adaptado e em equilíbrio com as principais doenças e pragas que acompanham a alfafa em todo o mundo.

Máquina agrícola descarrega alfafa recém colhida
A produção de alfafa ainda enfrenta desafios, devido principalmente ao alto custo de produção.

Outro fator que não atrai muitos produtores é o alto custo de produção, principalmente pela grande dependência de sementes importadas da Califórnia (EUA). Para se conseguir uma produção viável de alfafa, recomenda-se densidade de plantio de 15 quilos de sementes por hectare, que chega ao produtor ao custo aproximado de R$90,00/kg.

Por se adaptar bem ao frio, a alfafa é cultivada predominantemente no Rio Grande do Sul, mas verifica-se aumento da área plantada nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, em função da crescente implantação de sistemas intensivos de produção com bovinos de leite, o que, consequentemente, tem aumentado a demanda por alimentos de alto valor nutritivo.

Uma vez estabelecido, um campo de alfafa produzirá feno de boa qualidade por até 10 anos antes de ser replantado.

Alfafa na alimentação dos animais

A alfafa pode ser fornecida aos animais na forma conservada, verde picada ou sob pastejo. As principais formas de conservação da forragem da alfafa são o feno, com teor de umidade abaixo de 20%;  silagem, armazenada com teor de umidade acima de 70%; e o pré-secado quando a forragem normalmente é armazenada em sacos de polietileno e com teor de umidade que varia de 40% a 60%). A alfafa também pode ser utilizada sob pastejo direto e na forma verde fornecida no cocho, como ocorre na Argentina.

No Brasil, a forma mais difundida até o momento tem sido o feno, em virtude da facilidade de transporte e de comercialização, embora sua utilização na forma verde picada ou em pastejo esteja adquirindo importância, tendo em vista o elevado custo de produção do feno de alfafa. É empregada na alimentação principalmente de vacas leiteiras e equinos.

Vacas leiteiras são alimentadas com alfafa
A alfafa é utilizada na alimentação do gado, principalmente leiteiro. Suplementação é rica em proteínas.

No caso do gado leiteiro, a alfafa pode proporcionar um incremento de 10% na lucratividade do produtor de leite. Segundo pesquisa realizada pela Embrapa, isso ocorre devido a redução do uso de suplementação alimentar e aumento do número de animais por hectare.

Os técnicos comparam um sistema de produção de leite tradicional e outro com uso de alfafa. No tradicional, as vacas foram alimentadas a pasto e concentrado no período das águas, e silagem de milho e concentrado na época de seca. No experimento com alfafa, diminuiu-se a área de capim (Tanzânia) e silagem de milho. A única interferência foi a introdução da leguminosa.

Sempre antes de receber a suplementação, de manhã e à tarde, os animais eram levados ao pastejo na alfafa, para estimular o consumo da forrageira. Dessa forma, foi possível reduzir da dieta a utilização de farelo de soja na época da seca e eliminar esse concentrado durante o período das águas. Mesmo com um maior número de vacas no sistema que utilizou a alfafa, o consumo de concentrado e de silagem de milho foi reduzido na dieta. Isso ocorreu devido ao potencial proteico da leguminosa.

Alfafa na alimentação de equinos

A alfafa é um dos ingredientes mais utilizados na alimentação de cavalos. Mas, o seu fornecimento deve ser feito junto com o feno de outra gramínea. É que, por ser rica em proteínas, ela pode provocar algumas complicações no metabolismo dos animais quando fornecida “sozinha”, além de problemas urinários e digestivos. Por ser um alimento seco, deve ser fornecida com água.

Cavalos são alimentados com alfafa
A alfafa é muito utilizada na alimentação dos cavalos, mas é preciso fazer algumas combinações para não complicar o metabolismo desses animais.

Fornecida com aveia, é considerada uma combinação perfeita de nutrientes. De forma equiparada, as fibras dos grãos produzem diversas melhorias na digestibilidade e também atuam auxiliando na prevenção de distúrbios alimentares.

Portanto, se você tem animais que produzem leite, carne ou cavalos e tem condições propícias para plantio, pode ser uma boa opção. Pesquise, invista!

No MF Rural você encontra vários anúncios sobre alfafa. Anuncie também e tenha seu produto visualizado por todo o Brasil.