Amazônia não está em chamas: vídeo mostra para o mundo a preservação da floresta

Amazônia não está em chamas: vídeo mostra para o mundo a preservação da floresta

Saindo em defesa dos pecuaristas brasileiros, a Associação de Criadores do Pará (Acripará) produziu um vídeo em inglês, que em menos de dois minutos, conseguiu mostrar para o mundo que a Amazônia não está em chamas e que é possível criar gado na região com responsabilidade, preservando o meio ambiente.

O Brasil tem atualmente o maior rebanho bovino do mundo, com mais de 215 milhões milhões de cabeças, segundo dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Em 2019, foram exportados quase 2 milhões de toneladas de carne bovina.

Diferentemente de outros países, como os Estados Unidos, Austrália e Europa, onde o sistema de confinamento é a base da produção de carne, no Brasil a pecuária de corte é realizada principalmente em grandes áreas de pastagens. Segundo  o IBGE, são cerca de 150 milhões de hectares, segundo censo agropecuário realizado em 2017.

Rebanho bovino de corte em pasto verde
O rebanho bovino de corte brasileiro ocupa uma grande área de pastagem, mas a maioria é preservada.

Com uma área tão extensa para criação de gado, logo vem a preocupação com o meio ambiente, ou seja, de que estaria ocorrendo um desmatamento desenfreado para uso como pastagem. Mas, um  levantamento feito pela Embrapa, mostra uma realidade bem diferente. Indica que 66,3% do espaço vegetal do Brasil está preservado.

Na última conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas (COP24), realizada em 2018, na Polônia, o Brasil mostrou como o país tem conseguido, ao longo das últimas três décadas, diminuir gradativamente o volume de áreas desmatadas. Apenas nos últimos 10 anos, a área de desmatamento caiu de 20 mil km² para cerca de 8 mil km² ao ano.

Este esforço tem feito com que o Brasil ande na vanguarda dos países que investem na preservação ambiental como arma contra os desequilíbrios naturais, como altas ondas de calor, desertificação, estiagens prolongadas, e inundações, por exemplo.

Criação de gado na Amazônia

A polêmica sobre as queimadas e o desmatamento, envolvendo a criação de gado, ocorre porque a Amazônia tem uma floresta que ocupa 7% da superfície total do planeta e abriga cerca de 50% da biodiversidade mundial.

Além disso, entre 1990 e 2017, o rebanho bovino dos estados da Amazônia cresceu cinco vezes mais que a média brasileira, segundo o IBGE. Daí vem a preocupação de que, para abrigar todo esse gado (cerca de 1,3 milhão de cabeças), estaria ocorrendo devastação de grandes áreas de reserva natural.

Vista aérea do rebanho bovino no Pará.
Os criadores de gado do Pará possuem um dos maiores rebanhos bovinos do Brasil e grandes áreas de preservação.

Diante dessa situação, a Associação de Criadores do Pará (Acripará) produziu um vídeo mostrando que a região produz com responsabilidade, preservando o meio ambiente. “Existe 1 milhão de agricultores na Amazônia e apenas 5% deles utilizam queimadas como forma de limpeza para produzir seus alimentos”, diz o texto. Acrescenta ainda que “o Brasil preserva 66,3% de suas florestas nativas, o país que mais preserva no mundo. Produz alimentos em apenas 29% de sua área territorial. Por isso os alimentos que você consome são produzidos de forma responsável e sustentável.”

O vídeo termina com uma pergunta: “De qual lado você está? De quem preserva de verdade ou de quem manipula seus sentimentos?”.

Confira o vídeo e compartilhe este post:

Fonte: Cristyan Costa

Precisando vender ou comprar gado de corte? Acesse nossa página de vendas, somos o maior marketplace agropecuário do Brasil.

Vamos informar o mundo! Compartilhe este post em sua rede social pelos links abaixo.