Entenda como funciona o arrendamento de fazendas

Entenda como funciona o arrendamento de fazendas

 

De acordo com um estudo divulgado pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), o PIB (Produto Interno Bruto) do agronegócio é um dos impulsionadores de investimentos no setor.

 

Para quem quer seguir essa tendência, uma forma interessante de ingressar na agropecuária sem precisar adquirir terras é optar pelo arrendamento de fazendas.

 

O arrendamento é um tipo de contrato semelhante ao de aluguel, mas que o arrendatário pode, ao final do contrato, adquirir o bem. Além disso, o conceito possui correlação com o termo “renda”, então, nessa modalidade, subentende-se que o bem será usado para gerar renda ao arrendatário.

 

Se você se interessou e quer saber mais sobre o assunto, continue a leitura deste artigo!

 

 

Como, de fato, funciona a prática do arrendamento?

 

Antes de explicar como é o funcionamento do arrendamento de fazendas, é necessário esclarecer a diferença entre esse termo e os conceitos de locação e venda de imóveis e/ou terrenos, além da distinção entre a modalidade de parceria.

 

 

Locação x Venda

 

Na locação, o proprietário do bem cede ao locatário (quem faz a locação) o direito de usufruto dessa propriedade. Em troca, ele recebe um valor prefixado. É interessante destacar que o aluguel pode ser feito em qualquer tipo de bem, sejam máquinas e imóveis ou, até mesmo, veículos.

 

O contrato de compra e venda é o mais simples de compreender, uma vez que nessa operação alguém compra o direito de posse de um bem ou propriedade. Logo, não é algo muito diferente de quando vamos a uma loja e compramos um eletrodoméstico, por exemplo. A maior distinção aqui, com certeza é no montante necessário para a compra e nos impostos incidentes na transação.

 

 

Parceria x Arrendamento

 

Quando falamos especificamente de operações tradicionais ao segmento rural, é comum surgirem dúvidas quanto aos conceitos de parceria rural e de arrendamento. Para regulamentar essas operações, o governo criou o Estatuto da Terra, que define esse e outros conceitos.

 

Essas duas formas de celebração contratual possuem alguns aspectos em comum, como o seu aspecto temporário, mas não são sinônimas.

 

Na prática, a parceria rural é um tipo de contrato em que há o compartilhamento dos riscos do negócio. Pode-se fazer uma alusão ao conceito de sócio. Nesse modelo, o proprietário da terra no processo disponibilizando o terreno e a outra parte oferecendo a mão de obra. Dessa forma, deve ser feita a partilha dos lucros, bem como dos prejuízos, entre as partes.

 

No arrendamento rural, o processo é muito semelhante ao de locação: um valor preestabelecido via contrato deve ser pago pelo arrendatário ao arrendador, independentemente se a exploração do bem retornou em lucro ou não. Nesse modelo, o arrendatário pode usar parte do valor já pago para adquirir o bem, ou seja, tomar posse e se tornar proprietário.

 

A maior diferença entre o modelo de parceria é que as responsabilidades entre as partes não são compartilhadas, ou seja, não se confundem.

 

Agricultores dando as mãos celebrando contrato de arrendamento de fazenda
O arrendamento de fazendas tem vantagens para ambas as partes

 

Quais são as vantagens do arrendamento de fazendas?

 

O arrendamento de fazendas é uma ótima opção para quem quer investir no segmento, mas ainda está inseguro. Por meio desse modelo de contrato, é possível fazer o uso da terra com a finalidade de gerar retorno financeiro.

 

O tempo mínimo da celebração de contrato é de 3 anos, dependendo do tipo de atividade a ser feita na terra, podendo ser estendido. As principais vantagens do arrendamento de fazendas são:

 

  • direito de preferência para adquirir o bem;
  • limitação do valor de arrendamento a 15% de acordo com o preço cadastral do imóvel;
  • mais seguro tanto para o arrendatário como para o arrendador;
  • além disso, o terreno pode ser usado para atividades de agricultura, agroindústria, produção pecuária, extrativa ou mista.

 

Quais são os direitos e deveres nessa operação?

 

Para a celebração de um contrato de arrendamento rural, pessoas físicas e jurídicas podem fazer parte da operação. O mais importante é saber claramente quais são também os deveres estabelecidos por lei nesse tipo de relação comercial.

 

É primordial que o contrato tenha cláusulas que definam, por exemplo, a duração da transação, o valor do arrendamento, os prazos de pagamento etc., conforme orienta o Estatuto da Terra. Não há segredo: o arrendatário e o arrendador devem cumprir o que estiver previsto em contrato.

 

 

Existem aspectos fiscais que devem ser considerados?

 

No arrendamento rural, a tributação fiscal é calculada sob uma alíquota progressiva de até 27,5% do imposto de renda sobre o valor do lucro real, no caso de pessoa física. Além disso, essa personalidade não é tributada por PIS/Cofins e CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido).

 

No caso de pessoa jurídica, a legislação é um pouco mais complexa e há tributações diferenciadas, inclusive, conforme o tipo de operação feita com os produtos da terra.

 

 

Quando o arrendamento pode ser uma alternativa?

 

O arrendamento rural é uma ótima opção para quem está iniciando no segmento ou para aqueles que ainda não possuem o capital para comprar um terreno, mas pretende adquiri-lo no futuro.

 

Como é possível usar parte do valor investido no contrato para comprar o terreno, além da legislação garantir a preferência de compra pelo arrendatário, o arrendamento rural é muito vantajoso, pois gera uma redução de custos.

 

Outro ponto interessante é os benefícios para o arrendador: diferentemente do contrato de parceria, o proprietário da terra tem a garantia de receber um valor, conforme a periodicidade estipulada no contrato, ou seja, não está interligado com os lucros oriundos da exploração da terra. Além disso, o tempo mínimo de contrato é atraente, pois é maior se comparado ao da locação comum.

 

Ao optar por arrendar fazendas ou ser um arrendatário, é essencial contar com o apoio de profissionais jurídicos especializados nesse segmento para que o contrato não seja confundido com o de parceria.

 

O arrendamento rural é uma operação complexa, devendo ser feita com cautela, sempre levando em consideração a regulamentação do Estatuto da Terra e firmando um contrato escrito.

 

O que você achou deste artigo? Ficou interessado nos benefícios do arrendamento rural, não é verdade? Aproveite e confira nosso outro post com um passo a passo para reduzir custos na agropecuária!

 

Veja também ofertas de arrendamentos em nosso site.

 

Related Post