Como reduzir os custos na agropecuária em 7 passos

Como reduzir os custos na agropecuária em 7 passos

 

Diminuir despesas e maximizar as receitas é um desafio em qualquer setor de mercado. Na agropecuária não é diferente: compreender quais os mecanismos que ajudam nesse sentido pode ser um diferencial competitivo para os produtores rurais. Dessa forma, faz-se necessário conhecer como reduzir os custos da agropecuária com métodos assertivos.

 

Isso porque ainda há muitos empresários, administradores e profissionais do setor que negligenciam a importância da redução de despesas. Para que você não passe por isso, trazemos um artigo completo evidenciando como reduzir os custos na agropecuária em 7 passos – tornando assim seu negócio mais eficiente, produtivo e, claro, rentável.

 

 

1. A tecnologia a seu favor

 

O primeiro passo – e que abarca todos os processos listados abaixo – é utilizar o que a tecnologia tem a oferecer para o homem do campo. E, aqui, falamos de vários aparatos, sistemas, softwares, equipamentos, entre outros, que ajudam de forma direta na redução de gastos.

 

Sistemas de gestão agropecuária, que integram e automatizam dados da safra, fornecem cuidados com o gado e centralizam as informações financeiras são um ótimo exemplo. Assim, enxerga-se em quê há maiores despesas, racionalizando as operações.

 

Os próprios aplicativos já podem fazer toda a diferença, pois são práticos e funcionais. Ainda, equipamentos tecnológicos que melhoram o consumo de insumos – da ração, passando por bicos de pulverização, até a água utilizada na plantação, por exemplo – reduzem diretamente os gastos.

 

Saiba mais sobre como a tecnologia melhora a produção agrícola.

 

homem com celular no campo
Aplicativos garantem acesso a mais opções de negócios o que resulta em redução dos custos 

 

 

2. Planejamento de compra

 

Planejar-se é, basicamente, o meio de sobrevivência em todas as empresas e setores. No ramo agropecuário, devido ao alto volume de produtos a serem adquiridos, como os defensivos agrícolas, é necessária uma atenção a mais no planejamento.

 

Assim, o segundo passo é planejar a compra. Mas, como fazer isso? Primeiramente, analisa-se a quantidade necessária a ser adquirida de acordo com o planejamento; e, na sequência, buscam-se as melhores condições de mercado para a aquisição.

 

O grande erro de muitos produtos rurais é uma fidelidade com fornecedores que, ao passar do tempo, tornase onerosa. Ao buscar os produtos em marketplaces do agronegócio, por exemplo, comparam-se todos os processos e é possível encontrar as melhores condições.

 

 

3. Tenha um bom plano de logística

 

A logística é fator indispensável – e, muitas vezes, o maior gasto da agropecuária nacional. É de conhecimento geral que nosso sistema rodoviário apresenta vários problemas, enquanto o ferroviário possui pouca infraestrutura para o transporte da produção rural.

 

Ao criar um bom plano logístico, identificando os custos com estoque, transporte e entrega, diminuem-se radicalmente as despesas que antes poderiam passar ‘batidas’ nos balancetes financeiros do seu negócio rural. Não à toa, a logística pode ser responsável por até 20% do preço final do produto que chega até o consumidor.

 

Há alternativas, como sistemas cooperativos de transporte, com outras propriedades rurais da região; terceirização do escoamento por empresas especializadas que tenham eficiência logística; e o controle/monitoramento de todas as etapas do processo logístico, evitando perdas, extravios e excessivo consumo de combustível pelos caminhões.

 

 

4. Agricultura de precisão

 

Uma eficiente técnica que reduz (e muito) os custos na sua propriedade rural é a agricultura de precisão. Basicamente, refere-se a uma série de dados e informações acerca do solo, captados por diversos equipamentos, como o próprio GPS, que permitem otimizar a safra e aumentar a produtividade.

 

Homem controlando máquinas por GPS
Eficiência reduz custos e a agricultura de precisão proporciona essa melhoria

 

Isso possibilita analisar quais culturas ou locais da lavoura são mais produtivas, além de direcionar a aplicação correta e suficiente de adubos e fertilizantes. Tudo de forma organizada e de fácil análise pelos gestores da propriedade.

 

Em países da Europa e da América do Norte, a agricultura de precisão é uma regra, pois elimina gastos desnecessários – como a utilização excedente de água que a lavoura precisa. O melhor é que essa técnica é de fácil aplicação, independente do tamanho da sua propriedade e traz resultados rápidos para o campo.

 

 

5. Racionalização de insumos

 

O quinto passo entra em sintonia com os outros quatro que destacamos até aqui: a racionalização de insumos. Nesse ponto, é preciso seguir uma série de objetivos para que os custos sejam amplamente reduzidos:

 

A aplicação correta e sem desperdício de defensivos que não tragam impactos ambientais, o que apenas pode gerar mais despesas – como pesadas multas;

 

O controle do armazenamento de adubos, defensivos e ração para o gado precisa ter prioridade. Assim evita-se a perda de itens por ultrapassarem a validade, ou perderem sua eficiência;

 

A ração, vale a ressalva, é um insumo indispensável: deve-se escolher o alimento correto e de qualidade para os bovinos, caprinos, suínos, aves, entre outros; além disso, planejar o estoque para períodos de estiagem, como o inverno, também é uma forma de racionalizar os insumos.

 

 

6. O fator investimento

 

O sexto passo é investir. Sim, investir de forma racional e planejada é a melhor forma de reduzir custos na sua propriedade rural. Isso compete equipamentos que aumentem a produtividade, qualificação pessoal e dos funcionários, além de análises técnicas do rebanho e/ou das culturas.

 

Tudo isso permite que, em pouco tempo, os resultados apareçam. Lembre-se: o investimento, principalmente em um mercado tão expressivo como o agropecuário, traz resultados em médio e longo prazo – sendo um deles, a redução de gastos.

 

Há linhas de crédito de aquisição de equipamentos muito atrativos. Mas, se há a possibilidade de reinvestimento, isso maximiza os resultados, diminuindo custos agregados – como manutenção de equipamentos e máquinas, desperdício da safra, doença dos animais e tantos outros prejuízos.

 

 

7. Atualização constante

 

As pesquisas na agropecuária avançam a cada ano. Além de trazerem métodos e ferramentas cada vez mais eficientes para escoar a produção ou no cuidado com o gado, elas impactam diretamente nas finanças da sua propriedade.

 

Por isso, atualizar-se constantemente é nosso último e indispensável passo. Entender como está o mercado através de notícias, a leitura de artigos e dicas sobre o setor (como os que trazemos aqui no nosso blog), assistir vídeos e tutoriais, participar de palestras e seminários – tudo faz a diferença.

 

O mundo moderno exige expertise dos produtores que desejam se destacar no setor agropecuário. Por isso, se deseja aumentar seus ganhos com a consequente diminuição dos custos, a atualização constante é o caminho orgânico para o sucesso do seu negócio.

 

Sabendo como reduzir os custos na agropecuária em 7 passos, que tal colocar na prática? Compare preços e encontre as melhores condições para o seu negócio.

 

Post Relacionado