Saiba 6 dicas eficientes para o combate à mosca-dos-chifres

Saiba 6 dicas eficientes para o combate à mosca-dos-chifres

 

O Brasil tem o maior rebanho comercial do mundo e ocupa a posição de líder tanto na exportação de carne quanto no faturamento do setor. Em vista disso, trabalhar para preservar a saúde e o bem-estar dos animais é primordial para garantir a competitividade da atividade.

 

Um dos aspectos que influenciam diretamente a produtividade do rebanho é a infestações de parasitas. Neste artigo, você vai entender como promover o combate à mosca-dos-chifres, bem como o modo de atuação do inseto e o impacto na produção.

 

 

O que é a mosca-dos-chifres e quais são seus malefícios?

 

Mosca-dos-chifres (haematobia irritans) é um parasita que ataca bovinos, equinos, bubalinos, ovinos e até mesmo o ser humano, dependendo do nível populacional dos insetos. Atuantes em todo o território nacional, medem até 4 mm e se concentram no abdômen, nos membros, no dorso e nas laterais do gado, uma vez que são áreas que o animal não consegue atingir com a cabeça ou a cauda.

 

Um único inseto hematófago é capaz de sugar o sangue do animal cerca de 30 vezes ao dia, e a irritação e o desconforto causados são em grande proporção. Além disso, suas picadas podem abrir feridas e atrair outras moscas que provocam miíase cutânea, popularmente chamada de bicheira (depósito de ovos que eclodem e liberam larvas que se alimentam do tecido vivo do animal por meio de suas feridas).

 

Com o esforço de se livrar das moscas, o animal perde energia e fica bastante estressado. Consequentemente, reduz o tempo de pastejo, que se reflete em quedas da produção de leite e carne. A qualidade do couro de animais altamente infectados também é afetada, pois as picadas geram uma reação que resulta no espessamento da pele.

 

 

Animal infestado com mosca do chifre
A irritação provocada pela mosca dos chifres causa perda na produção.

 

 

Como implementar o combate à mosca-dos-chifres?

 

Segundo estudos, o correto tratamento da infestação pode elevar o ganho econômico em torno de R$ 154 por animal. Assim, é preciso buscar meios efetivos de combate. Falaremos de 6 práticas e produtos mais recomendados na sequência.

 

 

1. Óleo do eucalipto

 

Trata-se de uma solução com menor toxidade ao homem e, ao mesmo tempo, fatal para o parasita. A Universidade Anhanguera UNIDERP, com apoio do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, tem obtido resultados significativos na aplicação do produto como repelente com ação inseticida.

 

 

2. Formulações de liberação lenta em brincos impregnados

 

O uso de brincos impregnados com inseticidas de lenta liberação é uma das soluções mais eficazes atualmente, sendo as formulações fosforadas as mais tradicionais.

 

É preciso se atentar somente ao período de uso em virtude da formação de parasitas resistentes.

 

 

3. Besouro (conhecido rola-bosta)

 

Esse besouro é capaz reduzir o potencial de proliferação do inseto porque ataca o bolo fecal das moscas, local onde as larvas são depositadas.

 

 

4. Armadilhas pelas pastagens

 

As armadilhas podem atrair as moscas do rebanho e prevenir o ataque. Dessa forma, reduzem a infestação no rebanho sem agredir o meio ambiente.

 

 

5. Boa condição nutricional do gado

 

As práticas de prevenção e combate à mosca-dos-chifres devem ser utilizadas em complemento a ações que promovam a boa nutrição dos animais. Sabe-se que gado em boas condições são mais resilientes a parasitoses.

 

 

6. Integrar árvores

 

Um estudo realizado pela Embrapa Pecuária Sudeste revelou resultados muito satisfatórios com a adoção do Sistema Silvipastoril (SSP): ao associar a criação do gado com o cultivo de forrageiras e plantio de árvores, a infestação por moscas-dos-chifres chegou a ser 38% menor. Isso ocorre porque a biodiversidade proporciona um equilíbrio pela ação natural de predadores que eliminam bolos fecais, reduzindo a população do inseto ainda na fase inicial.

 

Com essas estratégias eficientes para o combate à mosca-dos-chifres, o gado terá saúde e a infestação não acarretará prejuízos econômicos ao rebanho. Agora, confira quais são os tratamentos para mastite bovina, outro problema que pode atrapalhar a produção.

 

Related Post