O que é preciso saber sobre defensivos agrícolas? Confira aqui!

O que é preciso saber sobre defensivos agrícolas? Confira aqui!

 

Muito se ouve falar sobre os defensivos agrícolas e, ultimamente, eles têm ganhado ainda mais espaço na mídia e gerado grandes embates. No entanto, afastando as defesas e acusações dos apaixonados, há muitas informações a respeito do assunto que não são devidamente repassadas à população.

 

Logo, se você se interessa pelo tema e quer entender mais, inclusive para usar em seu sítio ou fazenda, confira o nosso post sobre os defensivos, como utilizá-los e o que é necessário levar em consideração. Continue a leitura e confira!

 

 

O que são os defensivos agrícolas?

 

Os defensivos agrícolas são conhecidos popularmente como agrotóxicos, cujo objetivo principal é a defesa das culturas agrícolas de pestes, pragas e outros seres vivos que impedem o desenvolvimento saudável das plantações.

 

Os defensivos também são capazes de auxiliar na economia de tempo e dinheiro, aumentando a produtividade e lucratividade. Um dos exemplos é que, com o uso adequado, as ervas daninhas, um problema bastante presente nas plantações, são eliminadas, além de não ser necessário capinar o terreno com frequência.

 

Plantação de soja livre de pragas
Os defensivos mantém a plantação livre de pragas e isso favorece o seu desenvolvimento

 

É claro que cada produtor rural deve analisar as suas necessidades, o tamanho de sua terra e os cuidados que a sua produção requerer antes de lançar mão dos agrotóxicos de maneira indeterminada.

 

 

Como é o uso de defensivos agrícolas no Brasil?

 

O Brasil é um país que faz bastante uso dos agrotóxicos e, por isso, temos tantas discussões a respeito do tema. A presença de temperaturas altas e a ausência de invernos rigorosos fazem com que as culturas do país estejam bastante vulneráveis ao aparecimento de pragas.

 

No entanto, é preciso ressaltar que, embora o uso seja demasiado, o Brasil também é o 3º maior exportador agrícola do mundo, o 3º maior produtor de grãos e o maior exportador de carne bovina, o que faz com que a nossa produção seja muito superior a outros países, como é o caso dos países da Europa.

 

Também há pesquisas no sentido de informar que, embora em números absolutos o Brasil seja campeão na utilização dos agrotóxicos, é preciso avaliar a quantidade de terras cultivadas e o volume de alimentos produzidos.

 

Assim, no primeiro caso, o país cai para a 7ª posição, ficando atrás de países como Alemanha, França, Japão e Reino Unido. Ao analisar o volume de alimentos produzidos, passamos então para o 11º lugar. Veja tabelas abaixo:

 

 

 

 

 

 

Quais são os tipos de defensivos agrícolas?

 

Para cada tipo de praga ou estágio da doença há um defensivo que deve ser utilizado, portanto, eles são conhecidos como inseticida, fungicida, herbicida e nematicida. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) criou a seguinte classificação toxicológica:

 

  • classe 1 — nível extremo de toxicidade;
  • classe 2 — nível alto de toxicidade;
  • classe 3 — nível médio de toxicidade;
  • classe 4 — nível leve de toxicidade.

 

A mesma lógica é utilizada para elencar os perigos do agrotóxico em relação ao meio ambiente, sendo que a classe 1 é a mais danosa e a classe 4 a menos danosa.

 

 

Como usar os defensivos agrícolas corretamente?

 

A sabedoria popular nos ensina que a diferença entre o remédio e o veneno é a quantidade, e essa lógica também é aplicada em relação aos agrotóxicos. Eles são necessários para preservar as plantações e permitir que diversas famílias brasileiras tenham fonte de renda, além de garantir a alimentação de tantas outras milhares, principalmente nos grandes centros.

 

Trator pulverizando árvores frutíferas
A diferença entre o remédio e o veneno é a quantidade

 

Porém, como dissemos, é necessário fazer o uso correto dos defensivos para que a quantidade não fique acima do necessário e comprometa a qualidade das frutas, legumes, verduras, entre outros alimentos que são produzidos.

 

O primeiro passo é saber diferenciar quais são as pragas que ameaçam as lavouras. Elas estão divididas da seguinte maneira:

 

  • fungos;
  • insetos;
  • plantas daninhas;
  • nematoides.

 

Cada um desses tipos conta com um protocolo de defensivos diferente.

 

 

Como aplicar os defensivos agrícolas?

 

Para diminuir os impactos dos agrotóxicos no meio ambiente, também é importante saber aplicá-los corretamente, inclusive aproveitando as tecnologias que estão disponíveis no mercado.

 

Pessoas enfileiradas aplicando agrotóxico na lavoura
A aplicação de defensivos na lavoura deve cumprir regras de segurança para cada produto

 

Uma das técnicas que tem chamado a atenção por causa do seu cuidado em monitorar a plantação é o manejo integrado de pragas (MIP). Uma pesquisa coordenada pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) descobriu que o MIP é capaz de reduzir até 50% o uso de defensivos desnecessários.

 

O monitoramento a que nos referimos serve para verificar a etapa em que a praga atingiu a cultura, uma vez que, dependendo do estágio, o uso de defensivos não é recomendado, podendo ser resolvido de outra maneira. Portanto, é fundamental estudar sobre tudo o que envolve as plantações, para que o diagnóstico seja o mais preciso possível.

 

Além disso, outros cuidados são importantes para que a aplicação dos defensivos agrícolas aconteça da melhor maneira, como os seguintes:

 

  • cuide do seu pulverizador e mantenha a manutenção em dia;
  • conheça os adjuvantes, que são os compostos utilizados no pulverizador e que facilitam a aplicação dos agrotóxicos;
  • mantenha os seus equipamentos limpos.

 

 

Como o uso de defensivos agrícolas é regulamentado no Brasil?

 

A maior parte das regulamentações relacionada ao uso dos defensivos está na Lei nº 7.802/1989. No texto constam informações sobre fiscalização e liberações. Também é possível encontrar outras informações no site da ANVISA, a agência reguladora do assunto no Brasil. Umas das questões, por exemplo, é que os agrotóxicos devem, obrigatoriamente, ser registrados no órgão federal competente, de acordo com o Decreto nº 4.074/2002.

 

Avião aplicando defensivo na lavoura
Antes aplicar defensivos em sua lavoura, verifique se ele tem registro no órgão federal competente

 

O Ministério da Agricultura conta com um sistema de agrotóxicos que deve ser utilizado como base para a pesquisa de qual produto adquirir para o controle de doenças e pragas de sua cultura.

 

Logo, conforme vocês puderam perceber, é muito importante conhecer o solo, as pragas e a produção para o uso adequado dos defensivos agrícolas, sem que eles afetem negativamente o meio ambiente, ao mesmo tempo que possam promover a segurança das culturas. Considere sempre consultar um agrônomo antes de tomar qualquer decisão.

 

O MF Rural é um marketplace que faz a aproximação entre compradores e vendedores do Agro. Para conhecer mais e encontrar defensivos e outros produtos, acesse aqui.