Qual a diferença entre plantio direto e plantio convencional?

Qual a diferença entre plantio direto e plantio convencional?

 

Os dois principais sistemas de plantio adotados no Brasil são o direto e o convencional. Eles são usados de acordo com a cultura e as características de cada lavoura. Basicamente, a diferença entre os dois é o preparo do solo.

 

Método convencional utiliza mais etapas de manejo da terra, como a aração e a gradagem. Já o direto, é mais prático, porque dispensa esses procedimentos e aproveita os resíduos vegetais como cobertura para proteger a plantação.

 

Neste artigo, vamos abordar as diferenças entre os métodos, para que você faça a melhor escolha para sua lavoura.

 

 

Plantio direto no Brasil

 

Devido ao aumento da atividade agrícola brasileira, o método de plantio direto ganhou mais espaço entre os produtores rurais. Atualmente, já está presente em mais de 32 milhões de hectares, segundo dados da FEBRAPDP.

 

Tabela com área de produção em plantio direto
Evolução do método de plantio direto no Brasil. Fonte: FEBRAPDP

 

Como é feito o plantio convencional?

 

Antes de plantar, é preciso preparar o solo. Isso significa remover toda a vegetação do terreno e utilizar técnicas para revolver a terra.

 

A aração é feita para descompactar o solo, tratá-lo com fertilizantes e retirar as ervas daninhas. Posteriormente, a gradagem tem a função de nivelar a camada arada.

 

Plantação de milho no sistema convencional
Plantio de milho no sistema convencional

 

Antes do plantio, existe a etapa da calagem, que nada mais é do que a aplicação de cal no terreno, para reduzir a acidez do solo. Somente depois de todos esses processos, é que a terra está pronta para ser semeada.

 

Extensa plantação de soja
Plantio de soja em sistema convencional

 

 

Como é feito o plantio direto?

 

Essa modalidade manipula de maneira mínima o solo. No momento do cultivo, é aberto um sulco, onde são depositados as sementes e fertilizantes. Os resíduos vegetais, conhecidos como palhada, são usados como uma espécie de cobertura para o solo, muito comum nas plantações de soja.

 

Plantio de soja em sistema de plantio direto
Soja em sistema de plantio direto, note a palhada por cima do solo

 

Plantio de algodão em sistema de plantio direto
Algodão plantado em sistema de plantio direto

 

O plantio direto utiliza muito a rotação de culturas para se ter uma boa quantidade de palhada. Portanto, o plantio direto resume-se nesses três pilares:

 

– Mínimo ou nenhum revolvimento do solo;

– Uso da palhada como cobertura morta;

– Rotação de culturas.

 

 

Sistema sustentável

 

O sistema de plantio direto representa uma evolução nos processos agrícolas, principalmente no aspecto ambiental. A cobertura morta ameniza os efeitos da erosão e retém mais umidade, o que significa maior equilíbrio da temperatura do solo.

 

Sem erosão, não há necessidade de replantio e gastos com sementes, adubos e fertilizantes. Tudo isso diminui os custos de produção, sem falar que se utiliza um número menor de maquinário.

 

Isso significa menor emissão de gases causadores do efeito estufa e uso de combustíveis fósseis.

 

Milho em sistema de plantio direto
Plantação de milho em sistema de plantio direto

 

Vantagens para o produtor

 

O plantio direto oferece mais flexibilidade ao agricultor. Isso porque não é preciso esperar meses para um novo cultivo, como no método convencional. Ao fazer a colheita do milho, já é possível iniciar a produção de soja, por exemplo, logo em seguida.

 

Um estudo da Embrapa revelou que o plantio direto aumenta a produtividade em 30%. O produtor também se beneficia com a redução de mão e de obra e desgaste das máquinas agrícolas. Conheça outras vantagens que o sistema de plantio direto pode proporcionar a sua lavoura.