Exportações de carnes bovina e suína batem recorde em julho

Exportações de carnes bovina e suína batem recorde em julho

Puxados principalmente pelas compras da China, as exportações brasileiras de carnes bovinas e suínas in natura estão batendo recordes neste mês de julho.

 

Os suinocultores são os mais animados com o aquecimento econômico do setor com o volume de carne vendido ao exterior.

 

Neste mês de julho, as exportações de suínos já superaram o recorde histórico para um mês de junho.

 

De acordo com a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Governo Federal, já foram embarcadas  76.583,335 toneladas, o que representa 24,55% a mais do volume total no mesmo mês do ano passado (61.486,221 toneladas).

 

Os especialistas do mercado de suínos estão com uma expectativa ainda mais otimista com relação às exportações: chegar ao final do mês superando 90 mil toneladas comercializadas ao exterior, o que representaria bater novamente o recorde atingido em maio.

 

Carcaças suínas penduradas
A expectativa é de bater novo recorde, ultrapassando o atingido em maio

 

Em termos de faturamento, até o décimo oitavo dia útil de julho chegou a US$ 162.636.124, ou seja, 15,56% a mais do que foi a receita das exportações em julho do ano passado (US$ 140,7 milhões).

 

 

Análise de mercado

 

De acordo com o analista de mercado da Agrifatto Consultoria, Yago Travagini,  a demanda pela carne suína está sendo puxada pela China e deve continuar enquanto o problema com a peste suína africana no país não for resolvido.

 

O analista prevê que no mês agosto o mercado continue aquecido, com exportações entre 70 mil a 90 mil toneladas.

 

Já o consultor do Itaú BBA, Cesar de Castro, informou que, com o aquecimento do mercado de suínos, as exportações no mês de julho (até a terceira semana) apresentaram alta de 53% em relação a julho do ano passado.

 

Segundo ele, se não enfraquecer nesta última semana, será o melhor mês do ano e também da história.

 

Com o aquecimento das exportações da carne suína, o suíno vivo em São Paulo já se valorizou 34,1% no mês, segundo informações do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).

 

 

Carne bovina

 

A situação não é diferente com relação às exportações de carne bovina brasileira, ou seja, seguem aquecidas com os compradores chineses compondo os estoques para o final do ano.

 

Carcaças bovinas penduradas
O total de vendas de carne bovina desse mês já supera o mês inteiro do ano passado

 

Segundo a SECEX, o volume vendido de carne bovina brasileira até agora neste mês de julho chegou em 136,42 mil toneladas, o que já superou o total exportado no mesmo período do ano passado (133,19 mil toneladas).

 

Yago Travagini prevê que as exportações estão próximas de chegar ao recorde ocorrido em outubro do ano passado, que alcançou 170,55 mil toneladas.

 

Os preços médios ficaram próximos de US$ 4.083,9 mil por tonelada, o que representa um aumento de 2,52% se comparado ao mesmo período do ano anterior (preço médio de US$ 3.983,6 mil por tonelada).

 

A exemplo dos suínos, o aquecimento das vendas ao mercado externo valorizaram o boi gordo que subiu 1,8%, segundo informou o Cepea.

 

Veja também: Conheça 6 dicas para negociar o preço do gado