Greening: doença sem cura ameaça as lavouras de laranja

Greening: doença sem cura ameaça as lavouras de laranja

Uma das preocupações dos produtores de laranja é a ameaça do greening, uma doença cruel e que pode dizimar toda as lavouras.

Trata-se de uma patologia que diminui seus frutos, se desenvolvem com péssima qualidade. Pior que isso: pode reduzir a sua área superior a 30%, conforme iremos mostrar neste artigo.

Se preocupou o bastante e quer impedir que o greening atinja suas lavouras de laranja? Acompanhe a leitura deste artigo e proteja imediatamente o que você tem de muito precioso dessa doença: o seu cultivo.

O que é o greening?

O greening ou huanglongbing (HLB) é a patologia mais importante a atingir os citros e lavouras de laranja.

Existem dois vetores psilídeos que levam esta doença às plantações, fazendo com que o problema seja transmitido na forma asiática, africana ou americana, conforme citaremos nos tipos de greening.

Diante deste cenário, o psilídeo (vetor de doenças) se alimenta dos caules e folhas das árvores, infectando-as com a bactéria. Assim sendo, prejudica a capacidade da planta se alimentar.

Resulta em frutas cada vez menores e em menor quantidade, ao longo do tempo, comprometendo comercialmente as lavouras.

Folhas dos pés de laranja atacadas pelo greening
O greening se alimenta principalmente dos caules e das folhas das árvores, como no caso da laranja, que ficam amareladas, ao serem atacadas por essa doença.


Isso se dá porque o greening retarda o fluxo de nutrientes, dificultando o amadurecimento adequado da árvore, deixando-a infectada e sem cura.

Logo, é preciso prevenir esta doença ao máximo nas lavouras de laranja e demais citros, como limão e tangerina, antes que seja tarde demais.

Quais os principais sintomas dessa doença?

Os sintomas de greening costumam aparecer nas folhas dos pés de laranja, em formato de manchas e nervuras amarelas.

Ao contrário do amarelecimento que pode resultar da falta de nutrientes, as folhas afetadas pela doença apresentam manchas assimétricas e os frutos podem se tornar deformados e amargos.

Assim, uma vez que a árvore esteja quase totalmente infectada, ela produzirá brotos amarelos que são característicos do greening e que serão bem pequenos, caindo prematuramente.

Frutos de laranja na lavoura atacada por greening
Pé de laranja com início de ataque do greening. Frutos podem se tornar deformados e amargos, comprometendo as lavouras.

Contudo, é possível também que existam frutos assintomáticos à doença que, geralmente, possuem um sabor estranho e apresentam problemas em suas sementes.

Com a finalidade de um diagnóstico profundo sobre o greening nas lavouras, é importante contar com o auxílio de um especialista que vai analisar os pés de laranja e demais citros.

No entanto, vale lembrar que, uma vez contaminada pela doença, a árvore terá uma vida útil de apenas dois a três anos, diminuindo e morrendo dentro deste prazo. Um prejuízo muito grande para as lavouras.

Quais os tipos de greening existentes ao redor do mundo?

Como já mencionado acima, o greening possui três formas identificadas cientificamente:

  • A asiática está associada ao Candidatus Liberibacter asiaticus (Las) e expressa sintomas em temperaturas elevadas;
  • Africana é relacionada ao Candidatus L. africanus (Laf) e expressa sintomas mais fortes em temperaturas mais baixas;
  • Americana está ligada ao Candidatus L. americanus (Lam) e é mais encontrada nas lavouras do Brasil. Ela apresenta sintomas em temperaturas mais baixas. Os longos períodos de temperatura elevadas podem impactar na doença e auxiliar as plantas infectadas.

Qual a incidência do greening no Brasil?

De acordo com o Chemical and Engineering News (CEN), no Brasil, o greening já eliminou 52,6 milhões dos pés de laranja e reduziu a área de lavouras em 31% desde 2004, quando a doença foi detectada pela primeira vez no país.

Diante desse cenário considerado devastador, em 2018 os citricultores paulistas implementaram, com sucesso, uma tecnologia de controle do greening desenvolvida pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ-USP).

Conforme estamos mostrando neste artigo, o greening é a doença mais destrutiva dos citros no Brasil, principalmente no caso da laranja, e a maior ameaça à citricultura mundial.

Confira no vídeo, os estudos visando o controle dessa doença nas lavouras, desenvolvidos pelo Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus), uma associação mantida por citricultores e indústrias de suco do estado de São Paulo:

Fonte: Fundecitrus.

Nesse sentido, foi desenvolvido um método para criar, em laboratório, a espécie de vespa Tamarixia radiata – considerada um inimigo natural do greening.

Dessa maneira, ela agiria como parasita, eclodindo os ovos destes insetos e os matando ainda no início de seu aparecimento.

O problema, como aponta a Fapesp, é que os inseticidas utilizados pelos fazendeiros não atingiam apenas o greening, como também às vespas. Assim, todo o controle dessa doença estaria comprometido.

Uma outra alternativa para combater as lavouras dessa doença

Em 2019, no entanto, a Koppert Biological Systems, de São Paulo, inovou na pesquisa sobre o greening com o bioinseticida challenger, que contém o fungo Isaria fumosorosea.

A ideia era que este fungo agisse como um parasita dessa doença, acabando por mata o greening, durante este processo. Isso em um momento de maior fragilidade: quando o greening ainda estivessem se desenvolvendo.

Apesar de ser comprovado como eficaz na eliminação destas pragas nas lavouras, os produtores de laranja passaram a aplicá-lo em grande escala. Portanto, o uso dessa substância ficou considerada cara em relação aos inseticidas químicos vendidos comercialmente.

Por isso, esta se tornou uma pequena adversidade dentro do contexto. Mesmo que não represente, diretamente, um empecilho no seu uso para combater o greening.

O que os produtores brasileiros estão protegendo suas lavouras?

Ainda seguindo o que foi mencionado no artigo da CEN, os citricultores brasileiros possuem algumas regras para lidarem com o greening e garantir a prevenção de suas lavouras de laranja.

Além de realizar um manejo cuidadoso de árvores e pragas, uma das alternativas visando conter o avanço do greening nas lavouras inclui a remoção de árvores infectadas, colocando-as fora dos pomares comerciais. Outra medida é a utilização de pulverizações de inseticidas em toda a área.

Pesquisa de campo para controle de pragas em lavouras
Muitas pesquisas estão sendo desenvolvidas no combate ao greening. O objetivo é reduzir os prejuízos econômicos dessa doença, principalmente nas lavouras de laranja.

Com esses tipos de estratégias, os produtores de laranja conseguiram estabilizar a incidência da doença em cerca de 17% entre 2015 e 2018, o que tornou fundamental porque respalda o sucesso que estes esforços estão trazendo.

Logo, uma doença que até então crescia de forma desenfreada foi bem controlada nas lavouras. Com novas pesquisas, elaboradas em torno desta questão, a expectativa é que os resultados sejam ainda melhores, tanto a curto quanto a longo prazo.

Resta aguardar pelo futuro e esperar pelas inovações científicas e tecnológicas com o intuito de combater o greening, um “vilão” das lavouras de citros.

Precisa de ajuda para proteger suas lavouras?

O MF Rural é um marketplace voltado ao agronegócio, promovendo o encontro entre vendedores e compradores de produtos e serviços neste setor.

Nesse sentido, você encontra os defensivos agrícolas mais indicados na proteção de suas lavouras de laranja e demais citros do greening e também outros tipos de doença.

Por falar em laranja, confira nosso artigo sobre a exportações de alimentos com vitamina C, produzidos pelo Brasil, durante esse período da pandemia da Covid-19.

Post Relacionado