5 dicas para combater a ferrugem asiática da soja

5 dicas para combater a ferrugem asiática da soja

A ferrugem asiática da soja (Phakopsora pachyrhizi) é causada por um fungo que se reproduz em plantas vivas. Sua primeira ocorrência na América do Sul foi no Paraguai, em 2001. Poucos meses depois, atingiu as plantações brasileiras.

 

Hoje, é considerada a principal doença da soja. Os danos causados pela ferrugem asiática podem provocar perdas de até 90% de produtividade. Segundo a Emprapa, no Brasil são gastos em média US$ 2,8 bilhões por safra para fazer o controle sanitário da doença

 

O problema é tão grave que, em 2004, foi criado o Consórcio Antiferrugem. O órgão é formado por representantes dos segmentos da cadeia produtiva da soja, como universidades, institutos de pesquisa, fabricantes de insumos e cooperativas de produtores. No site do consórcio estão dados de pesquisa, orientações e até o mapeamento do ataque dessa doença em tempo real durante a safra da soja.

 

A ferrugem asiática pode ser diagnosticada em qualquer estágio de desenvolvimento da cultura. O produtor  pode contar com apoio do Consórcio Antiferrugem que possui uma rede de 100 laboratórios espalhados pelo Brasil.

 

Para impedir o aparecimento dessa doença na soja, é essencial que o produtor conheça todas as medidas possíveis para proteger sua lavoura.

 

Confira, abaixo, as 5 principais dicas para combater a ferrugem asiática da soja:

 

 

1. Calendário de semeadura

 

Cultivar a soja precocemente, no início do período recomendado, é uma estratégia para evitar a doença. Ao realizar a semeadura tardia, é possível que a planta desenvolva a doença mais cedo e necessite de aplicações de fungicida.

 

Portanto, a calendarização da semeadura é imprescindível para a diminuição da aplicação de fungicidas.

 

Soja plantada ainda pequenas
Recomenda-se o plantio precoce da soja para evitar o ataque da doença.

 

2. Vazio sanitário

 

O vazio sanitário é um espaço de 60 a 90 dias onde a cultura de soja não é realizada. O período sem o plantio ajuda a reduzir a incidência de fungos, já que a bactéria se hospeda somente em plantas vivas.

 

Com esse sistema, é possível reduzir a quantidade de esporos do fungo causador da doença e retardar a ocorrência da ferrugem na soja.

 

 

3. Controle químico

 

Controle do uso de fungicidas é um método utilizado para prevenir o aparecimento do fungo. Fungicidas que apresentaram melhores resultados foram:

 

  • Carboxamidas;
  • Triazóis;
  • Estrobilurina (isolada).

 

 

4. Inspeção da cultura dos focos de ferrugem asiática

 

O monitoramento da lavoura é fundamental para que o produtor reconheça os potenciais agentes ameaçadores para a soja. Inicialmente, deve-se observar a folhagem superior, em busca de pontos escurecidos.

 

Após a inspeção, é recomendado usar uma lupa para averiguar a região inferior da folhagem onde geralmente se instalam as urédias, ou seja, pequenas saliências na planta.

 

Agricultor usando lupa na folha de soja
Com o uso de uma lupa, o produtor analisa a região inferior da folhagem, onde se instaram as urédias. Foto: Secretaria da Agricultura/RS.

 

Veja no vídeo abaixo, uma explicação de como identificar a ferrugem asiática da soja.

 

Fonte: Terra sul

 

Ao liberar os esporos, a urédia adquire formato triangular, mais parecido com um “vulcão”. Portanto, é essencial perceber o quanto antes se a lavoura está adoecida para controlar a ferrugem asiática e evitar prejuízos.

 

 

5. Lista organizada de manejo da soja

 

O sojicultor deve manter um check-list para o planejamento do manejo e prevenção à ferrugem asiática. Alguns pontos a serem considerados são:

 

1. Detalhes: o planejamento agrícola, como época de inspeção e tipos de fungicidas, garante o controle total da produção evitando gastos extras e prejuízos;

 

2. Apoio técnico: inspecionar visualmente a lavoura é uma forma fácil e eficaz de manter a ferrugem asiática longe da planta. Porém, caso seja necessário e não haja tempo hábil para o controle visual, é preciso contratar um engenheiro agrônomo para identificar as doenças da soja;

 

3. Presença da ferrugem na região: avalie a incidência de ferrugem asiática em outras lavouras da mesma região, para analisar se a sua plantação de soja sofre riscos diretos.

 

4. Gastos: anotar e manter o controle dos custos e produtividade da lavoura auxilia diretamente na gestão da cultura, a médio e longo prazo.

 

Clique no link e leia mais sobre o clima ideal para a produção de soja!