Importância das hortaliças na agricultura familiar

Importância das hortaliças na agricultura familiar

O cultivo de hortaliças, denominada Olericultura, é uma atividade muito importante para o agronegócio no Brasil. Esses produtos fazem parte das refeições diárias de grande parte dos brasileiros. Por isso, a preocupação com a qualidade desses alimentos.

O mercado brasileiro de hortaliças é altamente diversificado, com dezenas de olerícolas sendo comercializadas e consumidas nas diferentes regiões do país, como alface, batata, cebola, cenoura, e tomate.

A produção de grande parte do volume comercializado das hortaliças no Brasil é realizada por pequenos agricultores, cuja atividade é denominada “agricultura familiar”.

Assim, essa produção é uma das atividades mais importantes para essas famílias, tanto para comercialização, quanto para subsistência, uma vez que essa cultura normalmente exige pouco investimento, espaço reduzido para plantio, ciclo de produção bastante curto e retorno financeiro rápido, quando bem realizado. Abaixo, iremos falar um pouco mais sobre como pode ser feita essa comercialização.

Plantio de tomate. Frutas já maduras.
O tomate é uma das culturas produzidas pela agricultura familiar. É uma das hortaliças mais consumidas no mundo.

O que é agricultura familiar?

A agricultura familiar consiste em uma atividade agrícola comumente realizada em pequenas propriedades rurais. É denominada familiar por envolver grupos de famílias e, as vezes, alguns empregados.

No Brasil, a agricultura familiar é responsável por 70% dos alimentos que estão nas mesas dos brasileiros e emprega 77% das pessoas envolvidas com o setor agrícola. Portanto, é uma atividade econômica de grande importância, já que a maioria das famílias vive do consumo e da venda dos produtos que plantam.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a agricultura familiar se destaca pelo plantio de milho, mandioca, pecuária leiteira e de gado de corte, ovinos, caprinos, hortaliças, feijão, cana, fruticulturas, entre outros. A região Nordeste é responsável por 1/3 da produção total do país.

Recomendações técnicas para o plantio de hortaliças

Algumas técnicas de plantio são fundamentais para o cultivo de hortaliças no âmbito da agricultura familiar. A seguir, descreveremos algumas delas:

Se atentar ao clima e à época de plantio: questões climáticas como umidade, luminosidade, regime de chuvas e calor, são muito relevantes para a produtividade e qualidade das hortaliças. Geralmente, se desenvolvem melhor em climas mais amenos. Portanto, é importante estar atento à essas questões e escolher espécies que se adaptem à realidade climática da região onde ocorrerá o plantio.

Escolher bem o local de plantio: o local de plantio precisa ser arejado e ter por perto uma fonte de água.

Solo com plantio de cebolas
O solo escolhido para o plantio das hortaliças deve estar bem preparado, com os nutrientes necessários, para uma boa produção.

Uso de ferramentas adequadas: para produzir hortaliças é preciso dispor de boas ferramentas, como enxadas, ancinho, pá, mangueira/regador, carrinho de mão, arado, entre outras. No caso de plantações maiores, tratores ou equipamentos movidos por animais podem ser utilizados.

Bom preparo das mudas: as mudas precisam ser formadas adequadamente e transplantadas geralmente no fim da tarde, quando as temperaturas são mais amenas.

Controle de doenças: o uso de defensivos agrícolas naturais é bastante recomendado no plantio das hortaliças e o manejo adequado do adubo e irrigação também previnem o aparecimento de fungos e pragas.

Colheita: cada hortaliça apresenta ciclos de colheita específicos. A maioria, em média, com 100 dias do plantio. Para a qualidade dos produtos, é fundamental saber o melhor momento para realizar a colheita.

Comercialização: higienizar e secar adequadamente as hortaliças após a colheita é importante para garantir a boa aparência do produto, o que é fundamental para a sua comercialização. Além disso, um estudo de mercado, visando analisar quais hortaliças tem melhor saída, é importante para garantir boas vendas.

Como vender as hortaliças

Das etapas citadas acima, uma que mais preocupam o agricultor é justamente a venda dos produtos. A entrega de hortaliças mais frescas e de origem conhecida são atrativos para os consumidores.

Homem segura uma quantidade de cenouras colhidas.
Após a colheita, vem o maior desafio do pequeno produtor rural: a comercialização.

Portanto, a comercialização desses produtos é feita em diferentes canais, como as centrais de distribuição das grandes redes de supermercados, mercados menores, sacolões, feiras livres, restaurantes e também nas centrais de abastecimento, como Ceagesp.

Além disso, graças à internet, hoje existem marketplaces agrícolas que também se apresentam com uma excelente opção para conseguir melhores preços.

A entrega das hortaliças através das compras públicas, como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), geralmente beneficiam os agricultores familiares. A utilização de mídias digitais, por meio do celular, com o emprego principalmente do WhatsApp, Instagram e o Facebook, tem sido uma grande aliada desses produtores.

Conforme vimos, o cultivo de hortaliças é muito relevante para a agricultura familiar, sendo fundamental seguir boas práticas de cultivo para que se obtenham produtos de qualidade e ao mesmo tempo ficar atento aos melhores canais para venda da produção.

Confira também nosso artigo sobre os desafios da agricultura familiar no Brasil.