O papel da logística para o crescimento do agronegócio

O papel da logística para o crescimento do agronegócio

 

Em 2017 aproximadamente 21% do PIB brasileiro e metade das exportações do país vieram do agronegócio. Vale lembrar que o Brasil é um dos maiores produtores rurais do mundo. Ainda assim, o setor encara muitos desafios, sobretudo em termos de escoamento de produtos. Neste quesito precisamos entender o papel da logística para o crescimento do agronegócio.

 

De nada adianta, afinal, uma produção elevada e de qualidade se a etapa de transporte não for eficiente. E é fato bem conhecido que a infraestrutura logística brasileira é falha. Seja para que os produtos cheguem até a mesa do consumidor ou até os portos.

 

Pior do que isso: os investimentos do governo não acompanham a evolução do setor agrícola. Se esses desafios não forem superados o Brasil acabará diminuindo a sua participação na produção mundial de alimentos. Não podemos esquecer que OCDE e FAO já apontaram a necessidade de aumentar a oferta alimentícia.

 

Nos próximos 10 anos o ideal é que os índices subam em 20%. Para o setor agrícola nacional significa uma necessidade de aumentar cerca de 40% da produção até 2029. Sem que os problemas de transporte entre zonas produtoras e armazéns seja solucionado, o Brasil não conseguirá atender a essa demanda.

 

 

Entenda o papel da logística para o crescimento do agronegócio

 

O panorama da introdução já nos aponta qual a importância que a logística tem para o setor agrícola. É através dessa atividade que tratamos de toda a movimentação de produtos dentro da cadeia produtiva. É também aqui que entram em cena os caminhoneiros que levam a safra até os seus destinos.

 

Graças a eles, boa parte da nossa produção chega aos portos, CEASAs, feiras e supermercados. Também é importante atentarmos ao fato de que a logística do agronegócio pode ser dividida em três grupos. São eles: de suprimentos, operações de apoio e distribuição.

 

A primeira diz respeito ao transporte dos insumos e ao fluxo de serviços para a cadeia produtiva. Quanto às operações de apoio, são elas que garantem que os processos anteriores sejam eficientes e racionalizados. De tal modo que o suprimento de insumos e serviços seja otimizado. Por fim, a distribuição é o momento em que o produto finalmente será transportado rumo ao seu destino final.

 

É também um dos pontos mais sensíveis, já que a mercadoria agropecuária quase sempre é perecível. Fica claro, assim, que o papel da logística para o crescimento do agronegócio não é pequeno. É com ela que insumos, ferramentas e serviços chegam às fazendas. Posteriormente, é por meio dela que os produtos chegarão aos pontos de venda e distribuição.

 

 

O problema de depender excessivamente das estradas

 

Um dos maiores problemas enfrentados pela logística no Brasil é sua excessiva dependência do modal rodoviário. Atualmente mais de 60% da produção nacional é transportada por estradas. Acontece que apenas 12% de nossa malha rodoviária conta com pavimentação. É o que nos informa a Confederação Nacional de Transportes.

 

Ademais, a grande maioria das estradas apresenta buracos, lama, e com frequência, congestionamentos. Isso gera não apenas ineficiência, mas custos logísticos elevados para o setor. O problema, contudo, não se resume às estradas onde é transportada mais da metade da produção nacional.

 

Ao chegar nos portos, também é insuficiente a estrutura disponível para acondicionamento, manipulação e transporte dos produtos. O resultado são entregas onde os atrasos são frequentes e um frete de valor elevado. Enquanto isso, ferrovias e modais hidroviários não são aproveitados como poderiam.

 

Visto o papel da logística para o crescimento do agronegócio, os entraves citados acabam agindo como freios ao potencial do setor. Até mesmo porque o preço do produto final acaba impactado por essas questões. Para o agronegócio o prejuízo tem tamanho: um terço de seus recursos vão para a logística.

 


Walter e Roberto comentam sobre a dificuldade de escoamento da produção causada pela falta de pavimentação nas estradas.

 

 

Outros gargalos enfrentados pelo setor

 

Não há dúvida de que estamos muito atrasados em termos de infraestrutura logística. Acontece que este é um problema sistêmico e difícil de resolver. Depende não apenas de setores privados, mas da própria iniciativa governamental. O problema é que a recessão econômica dos últimos anos minguou investimentos na área.

 

E antes eles já eram pequenos: apenas 2% do PIB. Uma proposta que visa cobrir essas brechas é a PPI. Trata-se do Programa de Parcerias de Investimentos, que visa atrair capital privado para rodovias, terminais portuários, ferrovias e aeroportos. Como o papel da logística para o crescimento do agronegócio é vital, estes investimentos são bem-vindos.

 

Operações logísticas em porto
O setor logístico brasileiro depende muito de iniciativa governamental que diminuiu investimentos após a recessão

 

Quais as possíveis soluções para os problemas atuais?

 

Solucionar os problemas descritos anteriormente, como vimos, é um grande desafio. Existem, no entanto, algumas soluções mais imediatas que podem remediar a situação. A própria geografia brasileira oferece uma possibilidade para melhorar a logística: os rios.

 

No país eles são muitos, extensos e navegáveis. No total dispomos de 44 mil quilômetros de águas fluviais, dos quais 29 mil podem servir ao transporte. Contudo, todo esse potencial vem sendo desperdiçado. Para se ter uma ideia, no transporte de grãos apenas 5% de toda a movimentação ocorre através deste modal.

 

O papel da logística para o crescimento do agronegócio também poderia ser estimulado em todo o seu potencial com o transporte ferroviário. Ele já ocupou espaço mais relevante no transporte de insumos e produtos agropecuários. Foi a partir dos anos 50 apenas que se iniciou a sua decadência em virtude da preferência pelo modelo rodoviário de transporte.

 

Caso fossem retomados os investimentos essa seria uma opção rápida e de baixo custo. Atualmente o desenvolvimento ferroviário esbarra nos problemas econômicos, políticos e de governabilidade. Não obstante, é um dos modais com maior potencial para aliviar os problemas logísticos que o agronegócio enfrenta.

 

O papel da logística para o crescimento do agronegócio é de suma importância. Pois desde o início da cadeia produtiva há processos que demandam transporte eficiente e rápido. Os desafios e problemas que a atividade enfrenta hoje são muitos, mas amplamente conhecidos.

 

A união dos agentes do setor é a melhor forma de remediar a situação. Eles têm o poder de investir e apostar em soluções alternativas. Quando unidos também ganham voz para reivindicar melhorias estruturais por parte dos governos. A tecnologia pode ser outra grande aliada neste processo.

 

Você pode conferir em nossos artigos alguns exemplos de aplicações bem-sucedidas. O fato é que entender o papel da logística para o crescimento do agronegócio, ajuda a apontar soluções para os gargalos atuais. Se quisermos continuar mantendo uma presença relevante na produção alimentícia mundial, é preciso cuidar destas questões o quanto antes.

 

Veja também: Veja 7 benefícios da mecanização agrícola

 

Post Relacionado