Fazendas: saiba tudo sobre o assunto!

Fazendas: saiba tudo sobre o assunto!

 

Para quem gosta da vida no campo, entender sobre as fazendas e como funcionam as suas produções é muito interessante, não é mesmo?

 

Até cerca de cem anos atrás, o Brasil era basicamente um país manufatureiro. Hoje, temos força em outros segmentos do mercado, no entanto, permanecemos destaque no setor da agropecuária.

 

De acordo com dados divulgados pela Agência Brasil, a produção agropecuária de 2019 atingiu um valor recorde: mais de seiscentos e trinta bilhões de reais! O número impressiona e mostra como as fazendas impactam a economia nacional.

 

Elas fazem parte da nossa história desde a colonização e, hoje, estão equipadas com as máquinas mais modernas que existem no mercado.

 

Se você gosta do tema e quer saber tudo sobre o assunto, então, confira abaixo! Boa leitura!

 

 

Você sabe a diferença entre chácara, sítio e fazendas?

 

Com certeza, você já ouviu falar sobre os termos chácara, sítio e, é claro, de fazendas. Mas, você, realmente, sabe qual é a diferença entre eles?

 

Antigamente, o que diferenciava esses tipos de divisões de terras era apenas a metragem. Basicamente, a menor metragem se referia às chácaras, médio porte aos sítios e grande porte às fazendas.

 

Além desses termos, ainda existem outros que são regionais, marcados pela cultura do lugar. É comum ouvir as expressões rancho, casa de campo e roça.

 

Porém, se você quer saber tudo sobre o assunto, é preciso entender bem os principais conceitos de divisão de terras. Confira, abaixo, as definições mais comuns.

 

 

Chácara

 

Ela continua sendo um tipo loteamento menor, podendo ter o plantio de pequenas hortas e pomares, além da criação de bichos.

 

A chácara costuma ficar próxima aos grandes centros urbanos, geralmente, em cidades da região metropolitana.Terrenos com até 15 mil metros quadrados se enquadram no perfil de chácara.

 

É muito comum encontrar esse tipo de loteamento em condomínios fechados.

 

 

Sítio

 

A maior diferença entre o sítio e a chácara é a sua localização: ele fica afastado dos grandes centros urbanos. Além disso, o seu tamanho pode chegar até 20 mil metros quadrados.

 

O cultivo da lavoura e o cuidado com animais, como equinos e bovinos, é possível em sítios. Outro detalhe é que eles podem ter um curso d’água ou, até mesmo, uma pequena lagoa.

 

Muitas vezes quem gerencia a produção, é o próprio dono e sua família, daí se origina a chamada agricultura familiar.

 

 

Fazenda

 

Com extensão geográfica maior, as fazendas são terras mais afastadas e ficam, realmente, localizadas no interior. O seu acesso costuma ser mais difícil e marcado pelos famosos “mata-burros” no trajeto.

 

Elas podem ter milhares de metros quadrados e são usadas para grande produção agrícola comercial e, também, para pastos.

 

Geralmente, elas contam com muitos funcionários que auxiliam na cultura da terra, na colheita e no trato diário dos animais. É muito comum a presença de caseiros, que ajudam a vigiar a propriedade e protegê-la de eventuais ladrões.

 

Por serem terrenos mais afastados e de grande porte, é natural que o gado, bem como as plantações, sofram ataques de alguns animais silvestres, como é o caso das onças.

 

 

O que são as chamadas fazendas urbanas?

 

Não, as fazendas urbanas não são sinônimas de chácara. Esse é um conceito muito novo no Brasil e está em processo de desenvolvimento. No entanto, são muito famosas em países como os Estados Unidos.

 

Elas surgiram da necessidade de se criar mais áreas verdes em volta de locais marcados pela urbanização.

 

Em vez de o espaço ser usado somente para o lazer, como é o caso de parques ecológicos, ele tem a sua terra aproveitada de forma produtiva, ou seja, sendo trabalhada para a produção da lavoura e de pequenos animais.

 

No Brasil é mais fácil encontrarmos hortas comunitárias nas cidades grandes.

 

Para que seja possível construir as fazendas urbanas são necessários investimentos em infraestrutura e mobilidade nas nossas metrópoles.

 

 

A fazenda urbana vertical

 

Como o intuito dessas fazendas é conciliar produção verde e crescimento urbano, há projetistas que estão pensando à frente com projetos mais ousados.

 

Um exemplo disso é o Dragonfly: uma proposta de fazenda urbana vertical. Nela, as áreas verdes ficariam em prédios, sendo integradas a apartamentos e escritórios. Essa é uma proposta que está em desenvolvimento para a cidade de Nova Iorque, Estados Unidos.

 

 

Projeto de fazenda vertical Dragonfly dentro da cidade
Projeto de fazenda vertical Dragonfly. Fonte: sustentarqui.com.br

 

Quais são as medidas de terra usadas?

 

Para definir os conceitos de chácara, sítio e fazendas usamos a expressão “metros quadrados”.

 

No entanto, existem outros termos que são frequentemente usados no segmento agropecuário para definir o tamanho de um terreno. Vamos, agora, conhecer um pouco dos mais usados:

 

  • hectare (ha): 10.000 m² (dez mil metros quadrados);
  • alqueire: 24.200 m² (vinte e quatro mil metros e duzentos centímetros quadrados);
  • alqueire paulista: 24.200 m² (vinte e quatro mil metros e duzentos centímetros quadrados);
  • alqueire mineiro: 48.400 m² (quarenta e oito mil metros e quatrocentos centímetros quadrados);
  • alqueire goiano: 48.400 m² (quarenta e oito mil metros e quatrocentos centímetros quadrados);
  • alqueire baiano: 96.800 m² (noventa e seis mil metros e oitocentos centímetros quadrados);
  • alqueire do norte: 27.225 m² (vinte e sete mil e duzentos e vinte e cinco metros quadrados);

 

Como você pode ver, essas definições variam conforme a região do país. Sendo que são resultantes da história local e da sua cultura, como é o caso dos termos rancho e roça, conforme falamos anteriormente.

 

Portanto, não se preocupe muito com esses termos e sempre procure usar os que são tidos como padrões: metros quadrados, hectares e alqueire.

 

 

Quais são as atividades nas fazendas?

 

As fazendas são exuberantes, não é mesmo? A vida no campo permite que algumas atividades sejam desenvolvidas no terreno.

 

O fazendeiro pode trabalhar com a agricultura, a pecuária e a criação de peixes, por exemplo. Para poder trabalhar dessa forma é necessário preparar o terreno, tanto para a lavoura tanto para a produção de gado.

 

Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto!

 

 

Atividades da agricultura

 

A produção da lavoura permite trabalhar com uma variedade enorme de culturas, soja, milho, trigo, algodão, sorgo, café, ou ainda de frutas, verduras e legumes.

 

Para definir com qual tipo você quer trabalhar é interessante, no início, conhecer melhor o tipo de terreno e de clima a sua fazenda dispõe.

 

Trabalhar com produtos que não são os mais indicados para a sua região pode fazer com que você invista muito e não veja retorno.

 

Fazenda com extensa área de soja plantada
Fazenda destinada a cultura de soja

 

Por exemplo, o cultivo de uvas é mais interessante para regiões mais frias, como é o sul do país. A qualidade da safra está diretamente correlacionada com as condições climáticas.

 

Por isso, quando acontece alguma anomalia natural, como chuvas fora de época ou ausência delas, por exemplo, o resultado da colheita tende a ser impactado.

 

Em grande maioria, os produtos da lavoura são usados na alimentação de animais como bovinos, caprinos, suínos, e aves principalmente.

 

Conhecendo bem a sua fazenda, você consegue otimizar ao máximo o seu potencial produtivo. Por isso, todo bom fazendeiro sempre acompanha de perto a sua produção.

 

Além dos funcionários da fazenda, o profissional mais envolvido com a atividade agrícola é o engenheiro agrônomo que estuda as propriedades do solo e da cultura, além das técnicas a serem aplicadas de acordo com as condições locais, como adubação, calagem, aplicação de inseticidas, etc.

 

 

Produtos da pecuária

 

A pecuária permite que a fazenda produza diversos produtos para o mercado: tanto a carne para consumo, como o leite, entre outros.

 

Para ter uma produção de referência é preciso se atentar muito ao cuidado com os animais, garantindo que eles estejam em boas condições de saúde e se alimentando com os alimentos mais adequados.

 

Várias cabeças de gado nelore em fazenda
Fazenda destinada à criação de gado

 

É primordial que toda fazenda conte com um médico veterinário para acompanhar o desenvolvimento dos animais e, assim, garantir qualidade na carne, leite e ovos produzidos. Os animais também são suscetíveis à doenças e isso pode impactar negativamente a sua capacidade produtiva.

 

Trabalhar com o gado leiteiro, por exemplo, é uma grande oportunidade nas fazendas. Isso porque muitos outros produtos podem ser confeccionados a partir da produção do leite de vaca. Você pode trabalhar com queijos artesanais, doces, iogurtes, etc.

 

Outro ganho em se trabalhar com o gado é que no caso de abate, além da carne, você pode aproveitar praticamente todas as partes do boi: é possível fazer mocotó extraído dos ossos e aproveitar o couro para a indústria de produção de roupas e calçados.

 

Já que estamos falando de animais, não podemos esquecer do principal parceiro do homem na lida com o gado, os cavalos. Os equinos são importantes para tocar o gado com mais agilidade, além de ajudar o homem a percorrer as longas distâncias de uma fazenda.

 

Em locais com condições menos favoráveis e que exijam mais rusticidade por parte desses animais, a lida é feita com burros e mulas.

 

Dentre as atividades pecuárias também temos as propriedades chamadas de granjas, que são desempenhadas as atividades de suinocultura e avicultura.

 

 

Criação de peixes

 

O Brasil é um país com uma extensão territorial enorme, não é mesmo?

 

Uma das coisas comuns entre muitos brasileiros, além da carne, é o hábito de se alimentar de peixes. Inclusive, há muitas pessoas que não fazem o uso de carne vermelha e optam por incluir os peixes na sua dieta. Por isso, esse tipo de produção é promissora para os negócios da sua fazenda.

 

Os peixeis de água doce mais procurados pelos consumidores são a tilápia e o surubim, também conhecido como pintado. O filé deles é muito consumido em vários cantos do país.

 

Há, também, peixes que vieram do exterior e são muito usados no food service (restaurantes) como é o caso do panga, que possui o filé com um dos preços mais rentáveis no mercado.

 

 

Outras atividades agropecuárias

 

Além das atividades descritas acima, nas fazendas, podemos encontrar diversas outras, como no caso da extração de borracha, produção de pinus ou eucalipto, extração de água mineral e de minérios, etc.

 

Ainda temos o Sistema Agroflorestal ou Agrofloresta que consorcia o plantio de lavoura ou criação de animais juntamente com florestas, promovendo benefícios econômicos e ecológicos.

 

 

Quais são os melhores tipos de terras?

 

Para poder definir quais os melhores tipos de terras que existem, primeiramente, é necessário saber qual o seu objetivo.

 

Para pasto e lavoura as terras ideais variam, porque o perfil do que vai ser trabalho nelas é totalmente diferente.

 

Além disso, não adianta nada começar em um terreno considerado bom se não fizer o cuidado correto dele.

 

 

As terras para gado

 

Comumente o conceito de terra destinada à produção de gado é conhecida como pastagem. Ela é a responsável por alimentar os animais, por isso, a terra propriamente dita, ou solo, precisam ser bem tratados também. A qualidade da carne está diretamente relacionada com o alimento consumido pelos bovinos.

 

Outro detalhe que se deve considerar é o bioma de onde se localiza a sua propriedade. O tipo de terra e de pastagens variam conforme isso e você pode trabalhar práticas para enriquecer as suas qualidades.

 

As brachiarias ou braquiárias são muito comuns no Brasil e os principais tipos de pastagens para o gado são:

 

  • Brachiaria brizantha (Marandu, Xaraés, Piatã e BRS Paiaguás);
  • Brachiaria decumbens;
  • Brachiaria humidicola;
  • Brachiaria ruziziensis;
  • Panicum maximum (Mombaça, Tanzânia, Massai e Aruana);
  • Cynodon (coast cross, tifton e capim vaquero).

 

Não se esqueça de proporcionar à terra os devidos cuidados. Portanto, sempre faça a rotatividade do gado entre pastos, a aragem do terreno, bem como a fortificação da terra com nutrientes, como calcário, nitrogênio, potássio e fósforo.

 

A terra para a produção de gado precisa de tantos cuidados como as que são destinadas para a agricultura.

 

 

As terras para lavoura

 

Os tipos de solos ideais para lavoura, também, dependem de qual produto você pretende fazer o cultivo.

 

Existem solos arenosos, argilosos e aqueles com a famosa terra roxa. Ela é considerada a mais fértil, mas, também, a mais difícil de se encontrar.

 

No entanto, o tipo de solo em si não depende do sucesso da lavoura, existem práticas que, ao serem usadas, otimizam a qualidade do solo:

 

  • o uso de adubo orgânico;
  • a rotação de cultura;
  • a irrigação;
  • o uso de fertilizantes e pesticidas;
  • a minhocultura, uso de minhocas para fertilizar o solo;
  • a calagem, para corrigir a acidez do solo.

 

Para otimizar os cuidados com os solos, no mercado existem uma gama de produtos especializados e eficientes.

 

Além disso, o uso de máquinas auxiliam muito a otimizar a produção agrícola, além de facilitar a vida do agricultor que poderá produzir mais com menos esforço empregado.

 

 

Quais são os equipamentos mais usados?

 

Para poder trabalhar nas fazendas são necessários alguns equipamentos, que garantem agilidade, produtividade e segurança.

 

Antigamente, todo o trabalho de cuidar da terra, como arar, semear, adubar e colher, era feito pela mão de obra humana. O mesmo vale no cuidado do solo para a produção de animais.

 

No mercado, você vai encontrar as seguintes máquinas: colheitadeiras ou colhedoras, adubadeiras, plantadeiras, semeadoras, tratores e pulverizadoras. Esses equipamentos auxiliam muito a vida dos produtores e são recursos essenciais para garantir safras recordes.

 

Continue a leitura e saiba mais sobre cada uma delas!

 

 

Colheitadeiras

 

As colheitadeiras ou colhedoras são máquinas muito usadas nas lavouras de cana-de-açúcar e grãos, como o café, soja, milho, trigo e algodão.

 

É um equipamento antigo, que teve sua origem nos Estado Unidos, no século XIX, e, inicialmente, funcionavam por tração animal. Hoje, elas têm um motor que pode funcionar por gasolina ou diesel.

 

 

Adubadeiras

 

Muito usadas na produção de café, as adubadeiras podem ser implementos que são acopladas em tratores e até em motocicletas.

 

Com essa ferramenta, é possível fornecedor a quantidade exata de adubo necessário para o solo. Isso reduz o prejuízo, além de potencializar o resultado da sua produção agrícola.

 

 

Semeadoras

 

As semeadoras são máquinas que fazem o trabalho de introduzir as sementes no solo.

 

Há registros desse equipamento no século II a.C. De lá para cá, as semeadoras se desenvolverem bastante e, hoje, só precisam de um operário para conduzir a máquina.

 

Além disso, com a tecnologia atual é possível germinar vários hectares em apenas um dia.

 

 

Plantadeiras

 

As plantadeiras são equipamentos muito semelhantes às semeadoras e, até, costumam ser confundidas entre si. A maior diferença entre elas é que as plantadeiras fazem a introdução de partes vegetativas no solo, em vez de sementes.

 

Assim, essa máquina pode ser acoplada em um trator agrícola e realizar o cultivo de culturas.

 

 

Pulverizadores

 

Essas máquinas são as melhores amigas dos produtores. Isso porque elas são usadas para o combate de pragas nas plantações, além de, também, ser possível fazer a distribuição de fertilizantes.

 

Com as máquinas pulverizadoras, você consegue aplicar a quantidade correta de produto, reduzindo o desperdício e sem causar efeito contrário às plantações.

 

Existem quatro tipos de pulverizadores: costal, pistola, de barra e atomizadores.

 

 

Tratores

 

Os tratores são máquinas essenciais para quem trabalha no campo. Eles podem ser usados para diversas funções, como nivelamento de terrenos ou para mover outros equipamentos.

 

Os primeiros equipamentos são do século XX e eram movidos a vapor. Hoje, funcionam por combustível, até com GPS, e têm diversos modelos, sendo cada direcionado para um tamanho de terreno.

 

Trator puxando implemento em extensa área de terra
Tratores são essenciais para a produção agropecuária em fazendas

 

 

Você conhece as maiores fazendas do Brasil?

 

Podemos dizer que o Brasil é sertanejo, não é mesmo? Não somente pela popularidade desse estilo musical, mas pela relevância histórica das fazendas para a nossa cultura.

 

A produção agropecuária sempre marcou a nossa economia e temos grandes fazendas que são responsáveis por produções recordes, tanto na agricultura como na criação de gado.

 

Mas, você sabe quais são as fazendas destaques no nosso país? Elas chamam a atenção pelo seu tamanho, muitas vezes chegando a ultrapassar a extensão de metrópoles, e são referências em prêmios e certificações de qualidade.

 

Veja, abaixo, as três maiores fazendas localizadas em solo brasileiro:

 

 

1. Nova Piratininga

 

Essa fazenda fica localizada na região centro-oeste do Brasil, mais especificamente no estado de Goiás. Ela tem uma extensão correspondente a cento e trinta e cinco mil hectares, essa área corresponde à cidade do Rio de Janeiro.

 

Impressionante, não é mesmo? Setenta por cento da terra é usada para a criação de gado, que, hoje, é o maior desse segmento, com cerca de duzentas mil cabeças de gado.

 

 

2. Tanguro

 

Pertencente ao Grupo André Maggi, que tem mais de duzentos e cinquenta mil hectares no estado do Mato Grosso, a fazenda Tanguro tem cerca de oitenta e cinco mil hectares.

 

Parte desse terreno é considerado reserva legal, então, não é usado para fins produtivos, inclusive, há projetos de proteção ambiental que são feitos na fazenda, como o monitoramento de antas.

 

Além disso, o grupo é o maior produtor de soja do país.

 

 

3. Roncador

 

A Fazenda Roncador tem cerca de cento e quarenta e quatro mil hectares de área e, também, fica localizada no estado do Mato Grosso.

 

A história dela começou com um ex-tropeiro oriundo de Minas Gerais, Pelerson Penido (1918-2012). No final da década de setenta, ele comprou vinte e quatro mil hectares e continuou investindo na aquisição de terras.

 

 

Tamanho médio das fazendas brasileiras

 

De acordo com o Censo Agropecuário Brasileiro, feito em 2006 e divulgado no ano de 2009, o país conta com cerca de quarenta e cinco por cento de fazendas com mais de mil hectares.

 

São dez anos que separam esse estudo dos dias de hoje e, com certeza, esse número deve ter sido alterado. Graças às políticas de incentivo à agricultura, a tendência é que esse dado tenha aumentado.

 

Vista aérea de fazenda dividida em lotes
Vista aérea de fazenda.

 

 

Quais são as fazendas históricas do país?

 

É possível visitar muitas fazendas que marcaram a história do país, seja pela sua importância produtiva ou pelo seu tempo de existência.

 

Há terrenos com mais de trezentos anos e que fizeram parte de ciclos da agropecuária, como o do café e da cana-de-açúcar. Conheça, agora, algumas delas:

 

  • Registro Velho, localizada em Barbacena, região da Zona da Mata, no Estado de Minas Gerais, com mais de 300 anos;
  • Fazenda União, fica na região do Vale do Paraíba, no Rio de Janeiro e divisa com Minas Gerais, tem quase 200 anos e é um patrimônio histórico tombado pela Unesco;
  • Fazenda da Taquara, na Barra do Piraí no Estado do Rio de Janeiro, com duzentos anos de existência, foi destaque na produção cafeeira no século passado;
  • Fazenda Boa Esperança, Belo Vale, região central de Minas Gerais, imóvel do século XVIII e tem mais de 300 hectares;
  • Fazenda São José do Manso, localizada no Parque Estadual do Itacolomi, em Outro Preto/Minas Gerais, foi construída no século XVIII e tombada acerca de vinte anos;
  • Fazenda Bananal, está na cidade turística de Paraty, Rio de Janeiro, datada do século XVII, também foi restaurada recentemente;
  • Fazenda Engenho do Cordeiro, na cidade de Carpina em Pernambuco, foi uma grande produtora de açúcar e, hoje, funciona como um hotel-fazenda.

 

 

Fazenda histórica com casarão e canhão antigo na frente
Fazenda histórica

 

Curiosidade literária

 

Quem nunca leu ou assistiu às obras de Monteiro Lobato? Um dos nossos patrimônios culturais, as histórias do Sítio do Pica Pau Amarelo foram inspiradas em um local real e com o mesmo nome.

 

O terreno tem vinte alqueires e, além de ser tombada, tem um museu nas suas dependências. O sítio fica localizado na cidade de Mairiporã, a poucos quilômetros da gigante São Paulo.

 

Fazendas inteligentes

 

As fazendas inteligentes ou “smart farms” fazem parte de um conceito de fazenda onde todas as atividades são gerenciadas de forma digital e instantânea. Os processos são informatizados e os dados captados e transmitidos em tempo real, gerando uma enorme quantidade de dados (big data) que são posteriormente organizados e produzem relatórios.

 

A tecnologia é aliada deste conceito que faz uso de outro cada vez mais conhecido, a “internet das coisas”. Isso significa que os aparelhos estão conectados à internet por onde recebem “ordens” para executar funções e transmitir informações.

 

São vários exemplos como captação da atividade do gado a partir de um brinco, captura de imagens da lavoura por drones, sistema de identificação de invasores, máquinas que operam automaticamente, etc.

 

 

Fazendas inusitadas

 

Quando falamos sobre fazendas, a primeira imagem que vem a mente é a plantação da lavoura, produção de gado e um casarão, não é mesmo?

 

Mas você sabia que, hoje, o termo fazenda também é usado para outro conceito?

 

As fazendas solares são grandes espaços, localizados em pontos estratégicos do país, que são usadas para a produção de energia limpa, ou seja, que não polui o ambiente.

 

Foto aérea de fazenda solar com vários painéis fotovoltaicos
Fazenda solar com diversos painéis fotovoltaicos

 

Para que seja possível a geração de energia solar, as fazendas precisam ser instaladas em regiões mais quentes, com alta incidência de raios solares.

 

Além disso, é necessário o uso de alguns equipamentos para captar a energia fotovoltaica e transformá-la para o consumo: são instaladas grandes placas e inversores.

 

Elas estão sendo aliadas das fazendas tradicionais, ao contribuir na redução de energia em cerca de noventa por cento.

 

Com o mesmo objetivo de geração de energia existem as fazendas eólicas ou parques eólicos, que geram energia pela força do vento através dos aerogeradores.

 

Estes devem ser instalados em locais com alta incidência de ventos e são compatíveis com os outros usos do terreno como a agricultura ou pecuária, devido a altura de sua instalação.

 

Fazenda consorciada com cultura e energia eólica
Fazenda com produção agrícola e de energia eólica.

 

O universo sertanejo é muito rico e é parte importante da história e da cultura brasileira. Após ler este artigo, com certeza, você ficou mais interessado em conhecer sobre as fazendas do país, não é mesmo?

 

Investir no campo é uma ótima decisão, principalmente, para aqueles que querem fugir da vida corrida dos grandes centros urbanos.

 

Se você se interessou mais sobre o assunto, o que acha de conferir os nossos produtos para as propriedades rurais? Temos máquinas, cercas, adubos e muito mais! Acesse!

 

Caso tenha interesse em comprar fazendas, acesso nossa página de vendas com milhares de propriedades anunciadas com preços.