Vacinação do gado: conheça as práticas mais importantes

Vacinação do gado: conheça as práticas mais importantes

A vacinação do gado é o ato de imunizar o rebanho com objetivo de evitar que os animais contraiam doenças que podem prejudicar a sua saúde.

Sem essa imunização preventiva, há o risco de afetar a sua longevidade, bem como comprometer a qualidade da carne ou leite, no momento da comercialização.

Sendo assim, nesse post explicaremos algumas das principais informações sobre a vacinação do gado, as doenças que podem ser evitadas, como ela contribui com a qualidade de vida do rebanho e como fazer um calendário de vacinação. Acompanhe!

Quais as principais doenças que a vacinação do gado previne?

A exemplo dos humanos, os bovinos também estão suscetíveis a adoecer, e algumas dessas enfermidades podem ser bem agressivas com os animais, além de contagiosas ao resto do rebanho, o que causaria um grande prejuízo ao pecuarista.

Rebanho bovino com qualidade
A vacinação do gado é indispensável para garantir a saúde e a qualidade do rebanho.

Portanto, o pecuarista deve ficar muito atento ao calendário de vacinação do seu rebanho. Confira algumas doenças que poderão ser evitadas com esse manejo:

Febre aftosa

Uma das doenças mais conhecidas no mundo bovino é a febre aftosa. Causada por um vírus, é bastante contagiosa e acomete animais biungulados, ou seja, que contam com cascos com duas unhas. Todavia, o ser humano também pode contrair essa doença.

Os sintomas mais comuns da doença são: febre alta, que desaparece após dois ou três dias; aparecimento de vesículas na laringe, mucosa da boca, pele e narinas do animal, além de mudança repentina nos hábitos alimentares, no qual o gado deixa de comer.

Com o intuito de tratar essa doença, é necessário fazer uma desinfecção completa do local. No caso das vacas, o leite produzido deve ser pasteurizado antes de ser consumido por humanos ou bezerros.

Também é necessário um tratamento com medicamentos nas feridas, além da aplicação de tônicos cardíacos nos animais mais fracos. Com o propósito de evitar tudo isso, é importante que o pecuarista siga corretamente o calendário de vacinação.

Vacinação do gado contra a febre aftosa.
Na vacinação do gado, o pecuarista deve ficar atento ao calendário da campanha contra a febre aftosa.

Confira também: Alguns Estados brasileiros estão livres da vacinação contra a febre aftosa.

Brucelose

A brucelose é uma doença que pode ser encontrada em bovinos, outras espécies de animais e até mesmo humanos, além de ser muito contagiosa. Ela aparece por conta de uma bactéria presente nos testículos dos bois infectados, e no útero, úbere ou placenta das fêmeas.

Os principais sintomas da brucelose no gado são: retenção de placenta, ocorrência de abortos ou nascimento de bezerros fracos, inflamação nas articulações, inflamação nos testículos e corrimento vaginal.

É importante tomar cuidado ao manter contato com animais possivelmente doentes, pois há o risco de transmissão da doença aos humanos.

Raiva

A raiva é uma doença que mata milhares de animais todos os anos. Ela é transmitida por meio da mordida de uma espécie infectada em um gado saudável, um humano e outros seres vivos.

O vírus causador da doença entra no corpo e ataca o sistema nervoso central. Dessa maneira, os bovinos começam a ter uma hipersensibilidade a fatores externos, e então começam a apresentar mudanças significativas nos seus hábitos.

A raiva é uma doença que não tem cura. Por isso, é importante a vacinação no período indicado pelos veterinários, ou caso exista algum foco da doença nas proximidades da sua fazenda.

Carbúnculo

Também chamada de manqueira, essa é uma doença não infecciosa causada por um micro-organismo. Os principais sintomas da doença no gado são: febre, apatia, perda de apetite, respiração rápida e inchaço dos músculos.

Nesse sentido, o tratamento dessa doença é feito por meio da aplicação de altas doses de penicilina, além de fluidoterapia. Entretanto, as chances de sucesso do tratamento são quase nulas. Por isso, é importante a vacinação preventiva no rebanho.

Qual a relação entre a vacinação e a melhora na qualidade de vida do gado?

A vacinação do rebanho não é apenas uma maneira de garantir o seu lucro com a venda da carne ou produção de leite dos animais criados, mas também visa fazer com que se desenvolvam saudáveis.

Veterinário coletando amostras em rebanho bovino.
O pecuarista, atento à vacinação e demais manejos sanitários, terá um gado mais saudável e valorizado.

Rebanhos que tenham a sua vacinação em dia são mais fortes, vivem mais e podem resultar em uma valorização da sua carne ou leite. Outro fator importante é que também evitará a existência de animais contaminados na sua fazenda que possam passar doenças à você ou aos seus funcionários.

Além disso, a vacinação também evitará gastos com tratamentos veterinários do rebanho, que podem ser bastante caros, conforme o tipo e gravidade da doença, o que, novamente, não é nada atrativo ao seu bolso.

Aliás, por falar em prejuízos econômicos, os pecuaristas devem ficar atentos às consequências da aplicação inadequada das doses no gado e à composição das vacinas. Confira no vídeo, dicas para uma boa vacinação:

Fonte: Governo RO.

Veja também: Casqueamento de bovinos: quando e porque é realizado.

Como é feito um calendário anual de vacinação para o gado?

O procedimento ideal é que o pecuarista entre em contato com um veterinário de confiança, que verificará qual seria o calendário ideal para o seu rebanho, tendo em vista as características dos animais e as necessidades do produtor.

Entretanto, existem algumas classificações com relação às vacinas que podem ser obrigatórias, opcionais ou terem um período específico de aplicação no gado, como a que previne a febre aftosa, que pode variar para cada estado.

Vacinas obrigatórias

São aquelas vacinas que o pecuarista é obrigado a aplicar ao seu rebanho. Isso porque previne doenças que podem ser passadas até aos seres humanos e causam grandes prejuízos aos produtores, conforme já citamos acima.

Entre elas, destacamos as vacinas contra a brucelose e febre aftosa. A vacina contra a brucelose é a B19, que deve ser aplicada entre os 3 e 8 meses de idade das fêmeas.

É importante que essa vacina seja prescrita por um veterinário, a fim de garantir que todo o procedimento seja feito corretamente e os animais sejam devidamente imunizados.

Vacinas opcionais

As vacinas opcionais no rebanho são recomendadas em caso de incidência da doença na propriedade ou em rebanho de pecuaristas vizinhos. As mais comuns são as de carbúnculo e raiva. A vacinação evitará que seu rebanho seja contaminado, caso entre em contato com animais doentes de outras áreas.

Homem segura seringa para vacinação do gado.
Existem vacinas obrigatórias e também opcionais. Todas elas garantem a saúde do gado.

A vacina contra raiva deve ser aplicada em duas doses iniciais, com um intervalo de 30 dias entre cada uma. No caso da existência de focos esporádicos da doença, é necessário fazer uma nova dosagem anualmente.

No caso do carbúnculo, o ideal é vacinar o gado a partir dos três meses de vida. Depois, serão feitas novas dosagens a cada seis meses, até que se completem dois anos de vacinação.

Como parte das práticas mais importantes na vacinação do gado, existe um esforço dos pesquisadores com a finalidade de produzir vacinas para outras doenças que atingem o rebanho. É o caso dos pesquisadores da Unesp de Jaboticabal, que desenvolvem vacina contra mastite bovina.

Assim, entendendo o que é a vacinação do gado, qual a sua importância para a saúde do rebanho, e como funciona um calendário de vacinação, será possível preparar uma agenda, e então, vacinar os seus animais, deixando-os mais saudáveis e fortes.

O resultado final certamente será a valorização do rebanho e mais lucro à sua fazenda. Você, pecuarista, que sempre busca o melhor ao seu rebanho bovino, confira nosso artigo sobre a importância do colostro para os bezerros. Boa leitura!

Post Relacionado