Conheça 4 práticas infalíveis para combater o carrapato na propriedade rural

Conheça 4 práticas infalíveis para combater o carrapato na propriedade rural

Todo produtor de gado, seja ele leiteiro ou de corte, com certeza, já se deparou com este problema: os carrapatos. Um dos grandes desafios dos fazendeiros é combater o carrapato e evitar prejuízos.

É essencial que o produtor adote algumas boas práticas ao cuidar do gado para evitar a infestação deste parasita. Não existe nenhuma receita milagrosa: é primordial ter um cronograma de cuidados e segui-lo à risca.

Sabendo que combater o carrapato é uma tarefa nada fácil, fizemos esse artigo especial com 4 dicas infalíveis! Se você está curioso e quer saber quais são elas, continue a leitura!

Como surge a infestação de carrapatos?

Antes de falarmos sobre as dicas que temos para combater os carrapatos, é necessário que você saiba como eles podem surgir nas fazendas e atingir a sua produção bovina.

É interessante lembrar que essa praga não impacta somente os bois e as vacas, ela também pode infectar os seres humanos e outros animais, como cães e cavalos.

Antigamente, com a definição certeira das estações, era mais fácil realizar o controle dos carrapatos. No entanto, graças às constantes variações climáticas, tem sido difícil para os fazendeiros evitarem a infestação desses animais no pasto.

Isso acontece porque a reprodução deles é favorecida pelo calor, exceto quando acima da média. Sem as baixas temperaturas no inverno, o ciclo do carrapato quase não tem intervalos. Na prática, o ciclo de vida do carrapato é dividido em 4 etapas: ovo, larva, ninfa e adulto.

Na primeira etapa, a fêmea deixa o hospedeiro e põe os ovos no solo. Em seguida, esses ovos eclodem, tornando-se larvas, posteriormente, ninfas e, por fim, adultos.

É importante reforçar que nenhuma das trocas de estágio do seu ciclo de vida é feita durante a parasitação no hospedeiro. Os carrapatos voltam ao solo, nos seus ninhos, e passam pela transição. Sendo assim, a maior parte da sua vida é fora do hospedeiro.

Abaixo, vídeo explicativo mostrando o ciclo biológico do carrapato bovino:

Fonte: Rovaina Doyle

Quais doenças esse parasita causa?

Um dos pontos mais alarmantes em caso de infestação é em relação às doenças que esses hematófagos podem trazer aos seus animais.

Com o gado doente, o prejuízo é certeiro: além do gasto com mais medicamentos para tratamento, a sua produção de leite é impactada negativamente e a engorda do gado de corte também, podendo ocasionar até a morte dos animais.

Abaixo, confira as principais doenças:

Anaplasmose

A anaplasmose bovina é uma enfermidade que, muitas vezes, é assintomática. Ela é uma das responsáveis pela morte precoce do gado, além de causar abortos.

Essa é uma doença que, após ser transmitida pelo carrapato ao hospedeiro, no caso das vacas prenhas, pode também ser passada para o bezerro via placenta.

Erliquiose

A erliquiose é outra doença silenciosa e que demanda muita atenção dos produtores. Ela também é transmitida pelo carrapato e tem como agente infeccioso o mesmo que causa a anaplasmose.

Essa enfermidade ataca os glóbulos brancos, que são parte essencial do sistema imunológico. Em casos superagudos, os sintomas podem ser diarreia, dificuldade respiratória e convulsões.

Babesiose

Uma outra doença muito comum na criação de gado no Brasil é a babesiose. Os seus principais sintomas são anemia, causando alteração na tonalidade das mucosas, anorexia, icterícia, ausência de ruminação e apatia.

Essa enfermidade é conhecida também pelo nome Tristeza Bovina, sendo que o seu diagnóstico é feito por exames de sangue e o tratamento exige o uso de medicações específicas.

Além dessas doenças que podem atingir o seu gado, os carrapatos também podem acometer humanos e transmitir outras enfermidades, como é o caso da doença de Lyme, da febre maculosa e, inclusive, da erliquiose.

No Brasil, é mais comum o registro de casos de febre maculosa em humanos, sendo que alguns dos seus sintomas, além da temperatura corporal acima de 39° C, são calafrios e alterações neurológicas, sendo muitas vezes confundidos com dengue.

É possível realizar o controle dessa praga?

Você sabia que os carrapatos que estão nos hospedeiros, no caso, o seu gado, correspondem a 5% da sua população total? Os outros 95% ficam no terreno.

Por isso, para realizar o controle eficaz dessa praga, é essencial aliar o tratamento do gado com o do terreno. Caso contrário, os carrapatos sempre vão voltar e causar prejuízos.

Agora, confira as nossas 4 dicas infalíveis para combater o carrapato:

1. Estabeleça um protocolo de entrada

Uma das formas mais comuns de proliferação desses hematófagos é por meio do transporte de animais oriundos de leilões ou outros plantéis.

Por isso, desenvolva um protocolo de entrada para a chegada de novos animais ao seu rebanho. Garantir a entrada deles sem nenhum parasita é uma forma eficaz para evitar a propagação de cepas mais resistentes.

2. Faça a aplicação de carrapaticidas

O uso de carrapaticidas é a forma mais comum e eficiente para combater o carrapato.

No entanto, é preciso reforçar a questão de fazer um controle minucioso e seguir um cronograma, além de fazer o combate ao parasita também no solo.

Não seguir o cronograma vai inviabilizar a eficácia do tratamento e causar mais prejuízos ao seu negócio.

3. Consulte um especialista

Talvez este seja o ponto mais importante: consulte sempre um especialista.

É comum fazendeiros buscarem um carrapaticida somente quando estão no balcão da loja. Isso é um equívoco. É essencial que o seu gado seja acompanhado por um veterinário.

Somente esse profissional, com conhecimento do histórico da sua produção e suas particularidades, poderá prescrever a melhor solução para o problema.

4. Incremente a adubação

Um estudo feito pelo Instituto de Zootecnia de São Paulo apontou que a incrementação de ureia na adubação do solo ajuda a combater as populações de carrapato. Com a alteração da acidez do solo, esses parasitas enfrentam dificuldades para se reproduzirem e sobreviverem.

As nossas dicas não param aqui! Uma novidade está chegando ao mercado e promete ser uma grande aliada dos fazendeiros para combater o carrapato. Pesquisadores brasileiros desenvolveram um produto natural que funciona por meio de um fungo que é inimigo biológico do carrapato. Esse estudo é um grande avanço para a pecuária no Brasil.

Com este artigo, agora vai ficar mais fácil para combater o carrapato na sua fazenda, não é verdade? Por isso, não deixe de seguir as nossas dicas à risca. Para combater o carrapato, é necessário dedicação e compromisso com a sua produção. Não existe nenhuma fórmula mágica.

Se você gostou das nossas dicas para combater o carrapato, o que acha de compartilhar este artigo com seus amigos nas redes sociais?