Marketing digital: adubando negócios no agro

Marketing digital: adubando negócios no agro

Construa a jornada para atrair, engajar, converter e vender

O digital se consolidou como a arena de construção de marcas, relacionamento e vendas no agronegócio.

Em nosso artigo anterior, tratamos da estratégia certa de marketing digital no agro, destacando a necessidade do desenvolvimento de um bom site (a vitrine da marca na internet), a produção de conteúdo (as mensagens que atraem e fidelizam clientes) e os pontos de venda (ranqueamento no Google e divulgação nas redes sociais, que possam gerar tráfego para o site).

Neste texto, vamos falar um pouco mais sobre o fluxo desta jornada digital, com foco nos caminhos para a efetiva comercialização propriamente dita, usando, como exemplo o funil de compra/venda.

Funil de vendas no marketing digital
No marketing digital, o funil é a atração de novos compradores e também ocorre no agronegócio.

São quatro principais etapas e, cada uma delas, requer um conteúdo específico: atração, engajamento, conversão e venda.

A boca do funil é a fase inicial da atração, pela qual o usuário terá que ser atraído para o site ou o perfil de sua marca nas redes sociais.

Nesta etapa, o conteúdo mais recomendado é àquele de informação menos técnica, de prestação de serviços, que, por exemplo, seja contextualizado com algum fato do momento (timing), o que lhe dará maior atratividade e conexão imediata. É disso que sua marca precisa aqui.

Fase de engajamento

Em seguida, temos a fase de engajamento, na qual o usuário já foi decerto modo “fisgado” pelo o que sua marca entrega de conteúdo, de informação, e começa a interagir, seja comentando, armazenando, compartilhando, podendo até, começar a enviar mensagens diretas.

Nesta etapa, o conteúdo já tem que ser diferente, mais aprofundado, detalhado, atacando, por exemplo, uma dor do negócio do seu cliente.

Fase de conversão

Continuando, chegamos à fase de conversão, na qual, por meio, sobretudo de uma landing page – página pela qual você oferece algum conteúdo rico, mais elaborado (um e-book, a oportunidade de participação em um webinar, a inclusão em uma lista de e-mail ou em um grupo de mensagens seleto, uma mentoria/bate-papo exclusivo), em troca de dados específicos do seu prospect.

Produtor rural e o marketing digital
O produtor rural deve usar o marketing digital como ferramenta de vendas.

É aqui que você, de fato, filtra quem te acompanha, pinçando os leads qualificados, ou seja, potenciais clientes, e estabelecendo uma relação mais próxima e exclusiva com eles.

Marketing digital: agora é hora de vender!

Ademais, avançamos agora à etapa da venda em si, na qual sua marca – que ao longo desta travessia digital criou a percepção de autoridade sobre determinado assunto – pode, naturalmente, oferecer produtos e/ou serviços que solucionem problemas reais do seu lead, que já estará mais suscetível a propenso a adquiri-los pelo grau de confiança estabelecido durante toda a jornada.

Confira também: AS VANTAGENS DO MARKETING DIGITAL PARA O AGRONEGÓCIO

Post Relacionado

Comunicação e agronegócio

Comunicação e agronegócio

Em busca de perguntas e respostas certas Em 2019, a Fundação Instituto de Administração (FIA) organizou o evento “Seminário –…