Como identificar a melhor hora de vender sua safra?

Como identificar a melhor hora de vender sua safra?

Grande parte dos produtores, especialmente os que estão começando, tem uma certa dificuldade com a melhor hora de vender sua safra. Afinal, o aspecto gerencial e comercial do agronegócio não é intuitivo, especialmente para quem tem menos experiência.

Portanto, em assuntos como este, o melhor a fazer é ouvir os especialistas e aprender o maior número de dicas possíveis para otimizar o momento da venda. E é isso que este post vai mostrar para você. Confira a melhor hora de vender a sua safra.

E, se gostar do post, lembre-se de conferir outros artigos no nosso blog para vender a sua safra ainda melhor.

Incerteza do mercado

Antes de mais nada, o produtor precisa saber lidar com a incerteza deste mercado. Especialmente quando se trata de certos produtos, como os grãos, as mudanças climáticas e sua instabilidade podem prejudicar muito o produtor, por conta da variação nos preços.

Portanto, o produtor precisa se focar naquilo que ele pode controlar. Uma das primeiras dicas para encontrar a melhor hora de vender sua safra, na verdade, começa com a produção. Ou seja, é preciso conhecer muito bem todos os custos.

Homem derramando punhado de soja com as mãos
Durante a produção da safra, todos os custos devem ser contabilizados

Um erro que muitos produtores cometem é tentar sempre vender pelo melhor preço possível, ou seja, obter o máximo de lucro. Porém, isso é um tanto quanto arriscado, pois nunca se sabe quando o mercado vai cair.

Especialistas comentam que se o preço chegou a 25% da margem, já é uma boa prática travar a produção.

Ritmo de produção de cada safra

Outro ponto crucial para encontrar a melhor hora para vender sua safra, é observar o ritmo de produção de cada produto.

Evidentemente, cada um tem um ciclo diferente, mas é natural que quanto maior for a oferta, menor é o preço. Por outro lado, se os estoques são baixos, o preço tende a ser mais alto.

Por exemplo, observando o mercado do milho, percebe-se historicamente que os menores preços ocorrem após a primeira safra, entre janeiro e março, quando o mercado está com a maior oferta.

Por outro lado, os maiores preços ocorrem no período antecedendo o plantio, que é quando o estoque está mais baixo. Se você se planejar para armazenar os grãos neste momento, pode aproveitar os melhores preços.

Colheitadeira descarregando soja no caminhão
Se após a colheita, puder armazenar sua produção e vender no melhor momento estratégico, é o ideal

Portanto, é preciso conhecer muito bem o ciclo de vendas de seu produto, de modo a conhecer os picos e vales de preços, para encontrar o melhor momento de vender.

Fator do transporte e do financiamento

Um fator que impacta bastante no preço é o transporte, afinal o Brasil é um país muito grande com uma extensa malha rodoviária e apesar do grande número de caminhões rodando, o valor do frete é um fator importante que pode pesar na negociação dependendo da localização onde a safra foi produzida ou armazenada.

Além do fator do próprio mercado, existem outros que contribuem para a flutuação dos preços da safra. Por exemplo, produtores que são financiados em real, e exportam, podem ser mais ousados nas vendas, por conta da diferença no câmbio.

Por outro lado, o financiamento em dólar significa que é preciso travar os preços mais cedo, além de ser um pouco mais conservador.

Normalmente, estas diferenças ficam mais claras de explicar observando o tamanho do produtor. Quem já é maior não pode arriscar tanto. A prioridade para o grande produtor é crescer pouco, mas de maneira constante.

Por outro lado, o pequeno produtor pode ser um pouco mais ousado, mas sem exageros.

Então, para resumir, o básico que o produtor precisa fazer para vender bem sua safra é:

  • Ter uma visão da previsão climática;
  • Manter um controle de custos rígidos;
  • Observar o andamento das colheitas no Brasil e no mundo;
  • Garantir um preço de venda com uma margem razoável.
Produtor em cima de carreta com milho nas mãos
Uma boa safra não depende apenas da quantidade produzida, mas do valor negociado.

Quais são os tipos de venda?

Além destas dicas mais básicas, a melhor para liquidar sua produção também depende da forma como a venda será feita. Um produtor, tem 4 opções básicas para vender sua safra:

1. Barter

A primeira é o barter. Este termo pode ser traduzido como troca, e na prática, é como se fosse um empréstimo em espécie. Explicando um pouco melhor, o produtor paga pelos insumos para a plantação com a entrega do próprio grão após a colheita.

É uma solução interessante, pois permite plantar sem ter os insumos e já traz uma garantia de retorno mínima. Por outro lado, boa parte da safra produzida já está comprometida, o que pode impactar os lucros caso o preço suba.

Além disso, traz outros pontos positivos como a economia com armazenagem e negativos, como uma taxa de juros relativamente alta.

2. Cooperativa

Outra opção é vender através da cooperativa. Neste caso, o produtor tem bastante vantagens no momento da compra, como maior poder de negociação e um fácil acesso a inovações tecnológicas.

Por outro lado, é uma opção que traz menos liberdade, visto que é possível negociar apenas com compradores e fornecedores aprovados pela cooperativa. Mais uma grande vantagem, é o acesso a mercados que compram em grandes volumes.

3. Tradings e corretoras

Também é comum vender por tradings e corretoras, que fazem o intermédio da negociação, especialmente para o exterior. É uma opção para quem quer vender no mercado futuro ou de opções, em que ocorre a venda de commodities. Estas são opções interessantes e vale a pena o produtor conhecer mais.

Traz certas vantagens como a possibilidade de vender para o exterior e aproveitar estes mercados mais sofisticados, como o futuro. Além disso, traz otimização do tempo do produtor, já que é a empresa que organiza as negociações.

Por outro lado, pode trazer uma redução de rentabilidade, por conta das taxas cobradas, e é necessário um volume de produto maior para participar.

4. Marketplace online

Por fim, mais uma opção interessante é o marketplace online. Com o crescimento da tecnologia e a modernização do agronegócio, esta é uma solução interessante. A única desvantagem é a necessidade de ter um aparelho conectado à internet, mas a cada dia que passa esse problema vai se tornando irrelevante.

Por outro lado, você tem acesso a uma grande rede de compradores, visto que estes marketplaces reúnem interessados de todo o Brasil e essa concorrência faz subir o preço. Além disso, não existe a necessidade de pagar comissão sobre a venda nem de ter o volume mínimo de produtos para fazer negócio.

Tela do site MF Rural
Um marketplace bem visitado é um bom local para vender sua produção e conseguir o melhor preço

Encontrar a melhor hora para vender sua safra parece complexo, mas é preciso apenas de um pouco de cuidado. Observando os fatores internos e externos mencionados acima, você consegue vender com uma ótima margem.

Então, se você quiser encontrar o melhor local para vender a sua safra, acesse o site MF Rural e conheça nosso marketplace!