Conheça os principais cuidados na produção de alevinos

Conheça os principais cuidados na produção de alevinos

 

Hoje vamos falar sobre a produção de alevinos, uma das fases de piscicultura, assim como a recria e a engorda.

 

Essa fase é importante, pois é nela que os alevinos são cultivados desde a saída da incubadora até a comercialização.

 

No site MF Rural você pode encontrar diversas espécies de alevinos para começar a sua própria produção de peixes, além de cursos online de piscicultura, um ótimo investimento para quem está começando ou quer aperfeiçoar suas técnicas de produção.

 

Antes de continuar, é bom ter em mente que sempre é necessário ter cuidado com a água, com verificação frequente das condições ideais para o desenvolvimento e manutenção de cada espécie.

 

 

O que são alevinos?

 

Caso você não saiba o que são alevinos, vamos explicar o básico neste tópico, mas caso já saiba, pode seguir em frente para ter mais informações sobre como funciona a produção de alevinos.

 

Os alevinos são os “filhotes de peixe”. Eles ganham essa denominação quando a larva absorve o saco vitelínico no qual está envolvida, passando assim para a fase pós-larva. Os peixes na fase de alevino têm aparência similar à da espécie adulta, porém são menores e mais leves.

 

 

Como funciona a produção de alevinos?

 

A produção de alevinos começa já na escolha das matrizes e dos reprodutores. O ideal é que esses peixes sejam de pisciculturas diferentes, para evitar cruzamento consanguíneo, e que elas participem ou desenvolvam trabalhos com foco em genética.

 

O enfoque da produção de alevinos é o desenvolvimento dos peixes, com atenção para uma alimentação adequada e cuidados com os viveiros ou tanques, para que os peixes cresçam e ganhem peso para serem comercializados.

 

O tempo de crescimento dos alevinos varia de acordo com cada espécie, sendo em média de 20 a 45 dias para espécies nativas do país, por exemplo. Com esse período eles chegam a até 3 cm de comprimento, sendo o tamanho médio para serem comercializados.

 

Um detalhe importante é que peixes maiores costumam ter valor de mercado alto, porém quanto maior for a espécie do peixe, maior será o gasto para sua produção.

 

 

A importância dos viveiros

 

Durante toda a produção é preciso ter atenção com os viveiros (também chamados de tanques ou berçários). Esse cuidado é importante porque é nesses locais que serão armazenados os peixes em cada fase.

 

Viveiros e tanques para produção de alevinos
Os viveiros ou tanques devem ser ter características específicas para cada espécie.

 

Cada espécie de peixe deve ter viveiro próprio por causa da temperatura e qualidade da água, da alimentação, e do manejo reprodutivo, afinal a melhor época para reprodução também varia por espécie.

 

Além disso, em uma piscicultura, cada viveiro tem um objetivo, sendo no mínimo estes:

 

• Estocagem de reprodutores previamente selecionados.

• Larvicultura e alevinagem.

• Treinamento alimentar para espécies carnívoras.

 

É necessário ter em mente que os viveiros serão as casas dos peixes durante o processo e, principalmente, que o desenvolvimento de larvas e alevinos está ligado ao ambiente no qual vivem.

 

Para que esses ambientes tenham oxigênio e sejam capazes de suportar vida, é feita a adubação. Assim, é possível que organismos vegetais (fitoplâncton) e animais (zooplâncton) se desenvolvam no viveiro, contribuindo como fontes de alimento, produção de oxigênio e impermeabilização.

 

Por causa dos fitoplânctons e zooplânctons, é importante que o viveiro seja limpo e a água esteja sempre em boas condições para a manutenção da vida tanto dos peixes, quando desses organismos.

 

 

Principais cuidados com alimentação

 

A alimentação dos alevinos é uma das maiores preocupações dos piscicultores, mas ela varia de acordo com cada espécie de peixe e suas necessidades.

 

A maioria das espécies são onívoras e podem se alimentar dos nutrientes presentes no viveiro. Ainda assim, é necessário o uso de rações específicas para cada espécie, que você pode encontrar no site MF Rural.

 

Homem jogando ração para alevinos
A ração utilizada deve ser específica para cada espécie

 

Vale lembrar que durante a produção de alevinos, é bom verificar como eles estão se desenvolvendo. Isso é possível por meio da pesagem e medição dos peixes, como vamos explicar no próximo tópico.

 

Algumas espécies têm taxa de reprodução elevadas e justamente para o viveiro não ficar superpovoado é preciso checar a quantidade de fêmeas e machos. Para evitar essa situação, é bom que haja mais machos do que fêmeas no viveiro.

 

Esse cuidado é importante na redução de mortalidade dos peixes por falta de comida, oxigenação e até canibalismo em algumas espécies.

 

 

Comercialização de alevinos

 

Como dito anteriormente, a comercialização dos alevinos poderá ser feita assim que atingirem o também e peso adequado.

 

Para saber quando eles estão prontos para serem comercializados, é importante fazer pesagem e medição com frequência. Esse procedimento também é necessário para verificar se os alevinos estão se desenvolvendo de maneira uniforme.

 

O cálculo do peso médio é feito usando quatro pesagens. Para cada uma, é preciso uma balança de boa precisão, na qual será colocada um recipiente com água. O ideal é pesar 10 alevinos por vez.

 

Homem despeja balde contendo água e alevinos
Alevinos devolvidos após pesagem em recipiente com água.

 

Ao fim das quatro pesagens, você soma os resultados e divide pela quantidade de peixes utilizados.

 

Enquanto a pesagem é feita em unidades, a medição deve ser feita de forma individual, utilizando uma régua ou paquímetro.

 

Depois de classificar os alevinos para comercialização, é hora de padronizá-los e separá-los pelo tamanho em diferentes viveiros.

 

É importante que a padronização seja feita cerca de uma semana antes da comercialização, para diminuir o estresse e, por consequência, a mortalidade durante o transporte.

 

Após esses procedimentos vem a depuração dos alevinos, na qual eles são transferidos para pequenos tanques, a fim de reduzir o metabolismo deles para o transporte, tendo assim uma diminuição no estresse, no consumo de oxigênio e na produção de amônia.

 

Entre 24h e 48h depois de ficarem nesses tanques, os alevinos estão prontos para serem embalados e comercializados.

 

E aí, está pronto para começar a sua piscicultura? Pesquise mais sobre peixes no site MF Rural.

 

Post Relacionado

Criação e cultivo de camarão

Criação e cultivo de camarão

  Carcinicultura, ou seja, criação de camarões, é uma atividade consideravelmente nova, ainda não tão economicamente expressiva no Brasil como…