Melhores práticas de produção suína que você precisa conhecer

Melhores práticas de produção suína que você precisa conhecer

Considerada uma das fontes de proteína animal mais consumidas mundialmente, a carne suína passa por diversos processos para chegar até à mesa do consumidor.

O manejo da produção é parte essencial dessa técnica e compreende a incorporação de metodologias, produtos e tecnologias ao processo produtivo, com o objetivo de garantir a qualidade da carne.

Conheça a seguir algumas das melhores práticas de produção suína.

Planejamento da atividade

De acordo com manual elaborado pela Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS), em um projeto de produção suína devem ser considerados desde a capacidade de investimento do produtor, a viabilidade econômica do negócio até o nível de produtividade que se deseja atingir e o manejo a ser adotado.

Para iniciar, o planejamento da construção de um galpão de suínos requer certos elementos, que podem facilitar muito o processo de criação:

  • Infraestrutura: é preciso gerenciar as contas de energia elétrica, ter comunicação com estradas que permitam a passagem de caminhões, bem como ter acesso à água de qualidade em abundância.
  • Topografia: a construção em terreno plano reduz os gastos com terraplanagem, enquanto a construção de uma lagoa de dejetos, em um terreno mais baixo que o do galpão, representará uma economia no descarte de excrementos.
  • Espaço: Outro detalhe importante na produção suína é ter um espaço físico nos barracões que permitirá um desenvolvimento saudável da produção.
  • Ventilação: o aproveitamento da ventilação natural, além de representar uma economia de energia, pode ser um item importante na saúde animal.
  • Luz solar: é fundamental posicionar o galpão no sentido Leste-Oeste, considerando que o sol do verão passe sobre a cobertura do galpão.
Leitões bebendo água em bebedouros
Entre as melhores práticas na produção suína, ao planejar o galpão uma preocupações é que tenha água potável em abundância.

Por ser uma produção que trabalha irrestritamente com o confinamento animal, também é fundamental planejar a higienização dos barracões durante os períodos em que estiverem vazios.

Biosseguridade

De acordo com a Embrapa, biosseguridade consiste nas medidas a serem tomadas na produção suína, para evitar a entrada e a propagação de doenças no rebanho.

Entre as principais medidas estão o isolamento do galpão de possíveis focos de moléstias e o contorno da propriedade com cercas.

Veterinário prepara injeção que será aplicada nos porcos
Equipe técnica deve ficar atenta para evitar a proliferação de doenças que podem comprometer a produção suína.

Também constam como medidas de proteção, a lavagem das instalações, restrição de visitas, higienização local entre cada lote de animais, programas de vacinações, afastamento e tratamento de animais doentes, bem como uso de água potável.

É preciso também manter um rigoroso controle de qualidade dos ingredientes da ração e dar o destino correto aos animais que morrem.

Para representar a biosseguridade, essas práticas na produção suína devem ser combinadas com o fluxo de animais entre as várias fases da produção e com a execução do manejo, do bem-estar animal, da capacitação dos funcionários e com programas de Boas Práticas de Produção e sistemas de gestão da qualidade.

Igualmente, considerando que esta é uma produção que possui alta formação de dejetos, estes devem ter um destino adequado.

No caso de uso para a adubação, devem ser respeitadas as recomendações agronômicas de cada cultura e os limites de distribuição através de cursos d’água, divisas de propriedade etc.

Manejo

O manejo de todo o processo de produção suína é uma prática essencial para obter bons resultados. Esse sistema vai desde a seleção genética do rebanho até o pré-abate.

  • Seleção genética: há um aumento da produtividade conseguida por meio da genética, via seleção das linhas puras e do vigor híbrido, proporcionado pelo cruzamento para formação de matrizes.
  • Reprodução: obtida através da manipulação das fêmeas com o sêmen especialmente selecionado dos reprodutores.
  • Maternidade: abrange os cuidados pré-parto, assistência durante o parto, cuidados com os recém-nascidos, manejo dos leitões durante a sua primeira semana e cuidados com a sanidade e a lactação das porcas.
  • “Creche”: cuidados com os leitões na fase pós-desmama.
  • Recria e terminação: foco no alojamento dos leitões.
  • Pré-abate: cuidados pré-embarque, manejo durante o embarque e precauções no decorrer do transporte.
Leitões amamentando numa porca.
Entre as melhores práticas na produção suína, o criador deve ficar atento à lactação das porcas e cuidado com os leitões.

Alimentação

Ainda segundo recomendações da Embrapa, a alimentação dos suínos deve ser balanceada e incluir ingredientes certificados para seu uso, com controle da qualidade e composição para atender totalmente às necessidades de nutrientes dos suínos em cada fase da vida (maternidade, creche, crescimento, terminação, recria, gestação, lactação e produção de sêmen).

Homem alimenta suínos em granja
Alimentação deve ser balanceada e em quantidade para cada fase de vida dos suínos.

A água também é um item importante da alimentação e deve ser totalmente potável e tratada para evitar doenças, além de ser monitorada por meio de exames físico-químicos e biológicos.

Para isso, entre as melhores práticas de produção suína o produtor deve estar atento a:

  • Aquisição de insumos somente com origem conhecida;
  • Verificar a presença de grãos quebrados, fungados e carunchados, além da quantidade de impurezas;
  • Armazenar os alimentos em local no qual não haja acesso de insetos e roedores;
  • Água que deve ser oriunda de fontes protegidas, armazenada em caixas apropriadas e tratada. Seu fornecimento deverá ser em bebedouros com vazão adequada a idade do animal.

Gestão de qualidade

Possuir uma excelente equipe é o primeiro passo para uma produção suína de qualidade. Definir as tarefas de cada funcionário é uma forma de garantir que a rotina seja cumprida, já que cada pessoa tem responsabilidades a serem atendidas em um prazo previamente determinado.

Exemplos a serem seguidos são o programa 5S e a Gestão pela Qualidade Total, difundidos a partir das experiências da equipe do professor japonês Kaoru Ishikawa, em 1950, que tem como filosofia unir, sistematizar e disciplinar conceitos e ações dentro de uma empresa.

No vídeo abaixo, conheça as 7 ferramentas da qualidade difundidas pelo professor japonês Kaoru Ishikawa e que podem ser aplicadas na produção suína:

Fonte: Produtividade Máxima.

Também é preciso realizar o levantamento de preços de fornecedores e negociar o valor do transporte de insumos e de animais.

Além disso, a compra de grãos, durante o período de safra, pode ser mais viável economicamente e a adoção de certas tecnologias do ramo pode ser um ganho em longo prazo.

Por fim, vale destacar que as boas práticas da produção suína requerem o monitoramento constante do desempenho de todos os envolvidos no processo: os suínos, os operários, as instalações, os fornecedores, etc.

Outro fator importante para garantir o sucesso da produção suína está na informatização da granja.

Quer saber mais sobre a tendência de mercado da suinocultura em 2020? Acesse nossa matéria sobre o assunto!