Conforto térmico e seu impacto na criação de vacas leiteiras

Conforto térmico e seu impacto na criação de vacas leiteiras

No Brasil, os meses mais quentes do ano ocorrem normalmente entre setembro e março, período em que as temperaturas chegam facilmente a 40º C em determinadas regiões, como no Norte e Nordeste. O forte calor pode ser mais prejudicial para determinadas raças de animais.

É o caso do bovino leiteiro que precisa adequar-se às condições climáticas a que está exposto, ainda mais quando não há instalações adequadas para amenizar essa sensação térmica.

No gado de origem europeia, por exemplo, um ambiente térmico com temperatura não adequada para tal rebanho propicia diversos problemas econômicos porque pode influenciar diretamente na produção de leite e reprodução das vacas leiteiras.

Neste artigo, confira a importância de manter um conforto térmico das raças leiteiras porque isso pode afetar diretamente na produção do leite e reprodução desses animais. Mas, antes vamos mostrar o que é o estresse térmico no gado.

Impacto do estresse térmico em vacas leiteiras

Alto índice de radiação solar, temperaturas extremamente quentes e alta umidade do ar, são alguns dos fatores que podem comprometer a saúde do animal e, como dissemos, afetar diretamente a produção de leite e a reprodução das vacas leiteiras. De acordo com especialistas, o chamado “conforto térmico” varia de acordo com a raça bovina. Nas vacas holandesas, por exemplo, é em torno de 26°C.

Em temperaturas muito elevadas, chegando ao estresse térmico, as vacas não conseguem dissipar o calor produzido em seu metabolismo e ativam mecanismos de defesa que reduzem a produção e auxiliam na perda de calor. Nos dois casos, é reduzida a energia disponível para produção leiteira levando à menor produtividade.

Homem ordenhando vaca com balde de leite
As vacas, quando enfrentam o estresse térmico, produzem menos leite.

No processo de produzir o leite, as vacas geram ainda mais calor interno por meio do seu metabolismo. Dessa forma, quando expostas à elevadas temperaturas, devido às condições do ambiente, isso afeta diretamente na produção leiteira.

O estresse térmico também influencia fortemente na alimentação das vacas leiteiras, uma vez que elas deixam de se alimentar durante o dia, devido às elevadas temperaturas. Isso agrava a saúde do animal e compromete sua reprodução, uma vez que o animal não ingere substâncias suficientes para sua sobrevivência.

Vacas se alimentando na sombra
Vacas alimentadas na sombra tendem a comer mais do que vacas sem conforto térmico

Reprodução das vacas leiteiras

No caso específico da reprodução da vaca leiteira, o impacto térmico afeta algumas funções reprodutivas, atrapalha o desenvolvimento embrionário e também favorece a ocorrência de algumas doenças uterinas logo após o parto, como retenção de placenta, metrite e endometrite.

Uma medida que ajuda a evitar o aparecimento dessas doenças é reduzir a temperatura ambiente desses animais durante esse período do final da gestação e início da lactação. Isso porque, com temperaturas corpóreas mais baixas, reduz-se o estresse calórico e, consequentemente poderiam ser reduzidos os riscos de desenvolvimento de patologias uterinas.

Como identificar vacas com estresse térmico:

  • Diminuição na produção de leite de 10 a 20%
  • Frequência respiratória acima de 80 movimentos por minuto em 70% dos animais do lote
  • Temperatura retal maior que 39º C por mais de 16 horas seguidas
  • Redução de pelo menos 10 a 15% na ingestão de alimentos
  • Aumento do consumo de água

O estresse térmico também pode acontecer no frio, afetando principalmente animais mais jovens. Isso ocorre por causa da ausência de calor ou pela baixa produção deste por meio da fermentação no rúmen.

Como fomentar conforto térmico em vacas leiteiras?

Por conforto térmico, compreende-se uma condição em que exista um equilíbrio entre o ser vivo e o seu ambiente. A sensação de conforto térmico existe quando não há nem calor e nem frio demais, mantendo, dessa forma, um equilíbrio corporal.

Para fomentar conforto térmico nas vacas leiteiras é imprescindível construir instalações adequadas, que possibilitem repouso e livre circulação dos animais. Assim, existem soluções efetivas para solucionar tal problemática.

Vacas leiteiras debaixo da sombra de uma árvore no pasto.
Os bovinos, principalmente as vacas leiteiras, precisam de conforto térmico, para não afetar a produtividade.

Por exemplo, projetar um local de descanso adequado para seu conforto, com sombras, podendo ser naturais ou artificiais. O importante é que estes locais de descanso contemplem uma área espaçosa, entre 4 m² a 15 m².

Uma ação simples e bastante eficaz para amenizar o estresse térmico em vacas leiteiras é deixar água potável à disposição na sombra. O consumo de água limpa e fresca ajuda a manter a temperatura corporal recomendada.

Entre outras opções para auxiliar no conforto térmico estão: a utilização de ventiladores em galpões e currais, ou mesmo optar pela criação de raças específicas que não tenham tanta sensibilidade ao calor.

Vacas em área com ventiladores e aspersores
Ventiladores e aspersores são excelentes opções principalmente antes da ordenha

O conforto térmico é imprescindível para rebanhos, uma vez que assegura sua saúde, garantindo maior produção e melhores resultados financeiros. Sem falar que tal conforto também beneficia a produção das vacas leiteiras.

No vídeo abaixo, confira um sistema que ajuda a manter a sensação de conforto térmico das vacas leiteiras antes da ordenha:

Fonte: IDEAGRI

Visite nosso conteúdo

Acesse o MF Rural, conheça nossos serviços, confira as ofertas sobre gado leiteiro e entre em contato com os anunciantes clicando em “Fale com o vendedor”.

Leia outros artigos de nosso blog, temos um conteúdo bastante extenso acerca do mundo do Agronegócio.