Financiamento para compra de propriedade rural: saiba mais sobre o assunto

Financiamento para compra de propriedade rural: saiba mais sobre o assunto

 

Atualmente, viver no campo ou depender financeiramente das atividades que são exercidas nele não são tarefas muito fáceis, ainda mais porque dependemos de condições climáticas, produtividade e tempo até obter o retorno sobre o investimento.

 

Mas, com a modernização do campo, a produção, tanto na agricultura quanto na pecuária, recebeu reforços da tecnologia e também do governo, pois por meio de financiamentos é incentivada a atividade na área rural.

 

Neste artigo, vamos explicar sobre o financiamento para compra de propriedade rural, o que é, quem pode conseguir e suas vantagens. Boa leitura!

 

 

O que é financiamento rural?

 

O crédito rural é a oferta de empréstimos e financiamentos para produtores do campo, a intenção é fomentar este setor.

 

Este tipo de financiamento tem taxas menores, se comparado a outros setores, que incentiva as propriedades agrícolas e pecuárias, além de melhores prazos para a quitação de parcelas e de carência.

 

Por meio do financiamento rural, é possível a modernização das atividades do campo, desde a produção até a comercialização dos produtos. Todas as etapas são beneficiadas para um desenvolvimento positivo do setor.

 

 

Quem pode financiar?

 

Quem tem direito a esse benefício são os produtores rurais e as cooperativas que exercem suas atividades no campo, tanto no segmento agrícola quanto no pecuário. O valor do crédito é concedido por meio da classificação dos produtores baseado na RBA — Receita Bruta Agropecuária Anual.

 

Podem ser pessoas físicas ou jurídicas, desde que exerçam funções que gerem emprego e renda para a área rural. Quem não é produtor, mas tem trabalhos ligados ao campo também pode se beneficiar.

 

Produtor rural conversando com agente bancário
Mesmo quem não é produtor, pode se beneficiar com o financiamento rural

 

Abaixo listamos algumas áreas que podem fazer uso do crédito rural:

 

  • pesquisas sobre mudas, sementes, inseminação artificial e desenvolvimento de embriões — precisam passar por fiscalização;
  • produção de mudas ou sementes e sêmen — também necessitam de fiscalização;
  • serviços relacionados à inseminação artificial — desde que realizados em propriedades rurais;
  • serviços prestados a imóveis rurais — desde que sejam relacionados à agropecuária, como proteção do solo e mensuração de lavouras.

 

A área comercial que estiver voltada para a agropecuária também pode fazer uso do financiamento rural, desde que comprovem que compram matéria-prima de pequenos produtores ou de cooperativas e cerealistas que cuidam de todo processo de grãos, desde o armazenamento e limpeza até a padronização e comercialização do produto.

 

 

Quais as vantagens do financiamento?

 

Na área rural, pode-se dizer que o financiamento vem para auxiliar o contratante a se planejar melhor, tendo em vista que o retorno financeiro de uma lavoura ou pecuária não é imediato.

 

Além disso, as taxas de juros são melhores, existem modalidades de empréstimos para cada área específica, pagamento facilitado e também a possibilidade de expansão para pequenos produtores rurais. A seguir, explicamos cada um deles:

 

  • taxa de juros — a taxa incentiva o crédito e varia conforme a modalidade, mas, ainda sim, é um valor que faz valer a pena contratar o financiamento rural;
  • modalidades de empréstimo — são várias as possibilidades de crédito e essas possibilidades fazem com que o produtor rural se sinta confortável para escolher a modalidade conforme a sua necessidade;
  • pagamento facilitado — os prazos e valores do financiamento rural são mais vantajosos que outro tipo de financiamento, pois são mais flexíveis;
  • crescimento para o pequeno produtor — devido aos incentivos de crédito, os produtores conseguem adquirir produtos melhores que qualificam o trabalho exercido no campo, destacando-se de forma positiva e competitiva.

 

 

Quais são as linhas de crédito e qual é a melhor?

 

No financiamento rural existem duas linhas de crédito:

 

 

CAF – Consolidação da Agricultura Familiar

 

A CAF atende os produtores rurais que já tenham minifúndios e gostariam de aumentar a área utilizada para a produção. Dentro desta linha de crédito, existem dois eixos: Subprojeto de Aquisição de Terras — SAT, que tem por objetivo a compra do imóvel, e o Subprojeto de Investimento Básico — SIB, relacionado à estruturação produtiva.

 

Para conseguir esse financiamento, é necessário ter como pré-requisito: renda anual familiar de até 15 mil reais e patrimônio abaixo de 30 mil reais.

 

Esse tipo de linha de crédito pode chegar a até 80 mil reais, dependendo do teto de cada microrregião, além disso, é totalmente reembolsável e pode ser individual ou coletivo, entretanto, quem faz a adesão é somente um indivíduo.

 

 

CPR – Combate a Pobreza Rural

 

Atende produtores rurais e suas famílias que tenham menor renda e necessitam de apoio. Também existem dois eixos nesta linha de crédito: Subprojeto de Aquisição de Terras — SAT e Subprojeto de Infraestrutura Comunitário — SIC, esse último é voltado aos projetos de infraestrutura básica, criados pelas associações que os produtores participam.

 

Como pré-requisitos, o produtor deve ter uma renda familiar anual de até 9 mil reais e patrimônio abaixo de 15 mil reais.

 

Diferentemente da outra linha de crédito, somente o financiamento para a compra de propriedade rural deve ser pago. O SIC, neste caso, não necessita de reembolso. Além disso, os contratos são coletivos.

 

Nos dois tipos de linha de crédito, o agricultor tem de trinta dias a seis meses de carência, além de 20 anos para quitar o financiamento, as taxas de juros são anuais e podem ser de 2% a 5% e desconto de 40 % para quem fizer o pagamento em dia, dependendo da região.

 

Figura representando fazendeiro e banco fechando financiamento rural
Antes de fechar negócio defina todos os pontos e certifique-se que as condições do financiamento sejam ideais

 

 

Como funciona o financiamento para compra de propriedade rural?

 

O financiamento é feito por meio das UTEs — Unidades Técnicas Estaduais e outros parceiros envolvidos. Elas são responsáveis pelo processo de tramitação e implantação das propostas do PNCF — Programa Nacional de Crédito Fundiário.

 

Quando o produtor rural se encaixa nos pré-requisitos, ele deve procurar o Sindicato de trabalhadores rurais ou da Agricultura Familiar da sua cidade para que eles entrem em contato com a Unidade Técnica do seu estado para solicitar o financiamento. Para isso, o agricultor também deve encaminhar uma relação de documentos: RG, CPF, comprovante de residência e também de votação da última eleição.

 

Depois deste processo, inicia-se a elaboração do projeto de financiamento, que obrigatoriamente passa pelo Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável. A proposta vai para unidade técnica para análise e em seguida é encaminhado para o Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável. Se o projeto for aprovado, ele segue para as vias de contratação, que é feita pela CAIXA.

 

Lembre-se que é importante pesquisar muito sobre esse assunto e conhecer todas as vantagens para financiar o imóvel rural com segurança e evitar possíveis contratempos que podem gerar grandes dores de cabeça.

 

Gostou deste artigo e quer saber mais sobre financiamento para compra de propriedade rural? Leia estes artigos sobre fazendas e serviços ofertados de crédito rural!

 

Post Relacionado